Atualizado em: 16 março 2012

Kony 2012 - Vídeo o guerrilheiro Joseph Kony

Nos últimos seis dias ele se transformou no ser mais procurado do mundo. Joseph Kony ficou conhecido depois que um vídeo viral foi lançado na internet
Você Sabia?
A ONG Invisible Children arrecadou em 2011 US$ 9 milhões, esse valor já é o triplo que conseguiu juntar em 2010. Depois de todo esse alarde, eles podem ter arrecadado só em cima do vídeo algo em torno de US$ 15 milhões em apenas uma semana.
Joseph Kony

Joseph Kony: O homem que sequestrou e maltratou crianças durante é comparado a Hitler e Fidel Castro (Foto: Divulgação)

Se você ainda não escutou falar sobre Kony 2012 ainda irá escutar, sem dúvida alguma. Este é o nome de um vídeo que no momento é o mais visualizado entre todos os virais da história. Ele foi divulgado a semana passada por uma ONG chamada, Invisible Children, a intenção é denunciar a violência que Joseph Kony causou durante anos na Uganda e ainda causa na República Dominicana do Congo.

Por 100 milhões de vezes o vídeo Kony 2012 já foi visto. As redes sociais foram as grandes influenciadoras, através do Facebook, Twitter e tantas outras a notícia foi se espalhando e depois de anos que o fato vinha acontecendo, o mundo inteiro tomou conhecimento em questão de dias.

publicidade:

Joseph Kony é acusado de ter sequestrado 60 mil crianças. As meninas são abusadas sexualmente e meninos de até 10 anos são submetidos a imposições até se tornarem verdadeiros soldados mirins. O déspota é capaz de cometer as maiores atrocidades com quem cruzar o seu caminho e se colocar contra as suas decisões.

Até o presidente estadunidense, Barack Obama já enviou uma tropa para localizar o guerrilheiro, em outubro do ano passado, antes do vídeo aparecer, mas até agora não obteve sucesso.

A ONG americana Invisible Children, nasceu e produziu esse documentário após seus criadores, Jason Russell, Bobby Bailey e Laren Poope viajarem para uma região da Uganda onde o crime foi identificado, a partir daí eles resolveram fazer um projeto para ajudar as crianças daquela região da África.

Há controversas

A intenção da ONG parece ser a mais pura e seus fundadores querem ajudar essas crianças, mas há quem conteste, não pela iniciativa, mas pelo fato de alguns dados referentes aos gastos da entidade.

Segundo informações a maior parte do dinheiro vai para pagamento de salários, viagens e produções como o Kony 2012.Um jornal britânico afirmou que o valor que chega para as pessoas de Uganda é pouco perto do que se arrecada.

Joseph Kony

Joseph Kony: O déspota da África (Foto: Divulgação)

Para se ter uma ideia e fundamentar essa afirmação pode-se usar como base dados da entidade que fiscaliza as ONGs, a Charity Navigator. O sistema funciona da seguinte forma, de acordo com a transparência os grupos recebem de uma a quatro estrelas, a Invisible Children recebeu apenas duas, ouseja, ela é metade certa, a outra parte é duvidosa.

Além dessa crítica, já é possível ler comentários de jornalistas, cidadãos e pessoas influentes ugandenses desaprovando o vídeo. A maioria diz que ele não mostra tudo como realmente acontece, foi uma produção que exigiu altos gastos, porém não atende as expectativas dessas pessoas que vivem ou viveram o problema.

Até comentários do tipo: “O resto do mundo nunca vai entender completamente o que realmente aconteceu por aqui”, podem ser encontrados. Outra preocupação dos moradores de Uganda e região é que o vídeo Kony 2012 atrapalhe essa missão sigilosa de encontrar Joseph Kony.

Os críticos dizem que tudo isso não passou de um bode expiatório para arrecadar dinheiro, pois se formos analisar, Kony não está em Uganda já fazem 6 anos, tanto ele, quanto o seu exército estão enfraquecidos e ativados em áreas pequenas no Congo, República Centro-Africana e Sudão do Sul.

O problema agora é outro em Uganda. As crianças são doentes, os jovens não encontram emprego e todos os dias pessoas morrem vitimadas por doenças, violação dos direitos, entre outros. O governo daquele país não tem feito muito para que os ugandenses vivam mais dignamente.

Já são 25 anos no poder e o presidente, Yoweri Museveni não tem se mostrado preocupado em fazer com as pessoas de seu país vivam de forma humanitária.

Kony 2012 – O vídeo

Esse é o vídeo que ficou conhecido como o mais viral da história, ultrapassando os números de acesso em menor tempo que a apresentação de Susan Boyle, no American Idol. Antes esse era o campeão de visualização.

Aqui você poderá acompanhar a história de um menino, o Jacob que sofreu com a morte de seu irmão, pelo exército de Kony e tentava fugir para não ser capturado.

A defesa da Invisible Children

Jason Russell, um dos fundadores da ONG, se manifestou em nome da entidade e disse que o dinheiro é utilizado para cobrir todas as despesas com vídeos, projetos e campanhas, mas a ajuda chega à Uganda.

A invisible Children diz ter a intenção de produzir esses virais e fazer com mais pessoas fiquem sabendo dos problemas que acontecem pelo mundo todo. Dessa forma, todos podem ajudar, cada um a seu modo.

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook