Atualizado em: 28 março 2011

Wikileaks expulso da Amazon

“A Amazon informou à minha equipe que já não servem Wikileaks. Foi uma decisão acertada”, disse o senador Jor Lieberman.

Servidores da AmazonWikileaks, o site especializado em revelar informações secretas de vários governos, tinha procurado refúgio nos servidores da Amazon para se proteger contra ataques cibernéticos. No entanto, a pressão política ganhou o jogo e a gigante da Internet foi forçada a parar sua prestação de serviços à organização de Julian Assange.

Os mais de 250 mil documentos secretos do Departamento de Estado norte-americano divulgados pelo Wikileaks esta semana tem colocado o site na posição de um centro internacional de notícias e isto levou a uma série de ataques cibernéticos contra seus servidores.

publicidade:

Devido a repercussão dos vazamentos, os responsáveis pelo Wikileaks, foram forçados a buscar uma proteção real, e para isso alojaram seu site nos servidores da Amazon em Seattle e em Dublin, com os endereços IP 184.72.37.90 e 46.51.171.90.

 

SENADOR ACABA COM A FESTA

A medida durou pouco. O senador Jor Lieberman, do Comité Nacional de Segurança do senado dos EUA, afirmou que a Amazon deixou de dar cobertura ao Wikileaks. “A Amazon informou à minha equipe que já não prestam serviços ao Wikileaks. Foi uma decisão acertada e deve ser um exemplo para outras empresas”

 

RESPOSTA RÁPIDA

A resposta do Wikileaks foi rápida: “Se a Amazon está tão desconfortável com a Primeira Emenda (da constituição dos EUA, que defende a liberdade de expressão de imprensa e religião, bem como o direito de reunião) devem sair do negócio de venda de livros”, disse a organização através do seu Twitter. “Os servidores do Wikileaks foram expulsos da Amazon”, diz outra mensagem curta do Twitter, acrescentando que a empresa vai gastar o dinheiro que era pago para a Amazon na Europa.

 

REAÇÃO DA CASA BRANCA

Por sua vez, a Casa Branca anunciou na última quarta-feira, a criação de uma comissão para apurar e lançar reformas na distribuição de informações classificadas, o cerne dos vazamentos protagonizados pelo Wikileaks.

 

SERVIDORES EM UM BUNKER

Em agosto, foi anunciado que alguns dos servidores que mantém o Wikileaks online, se situavam em um bunker nuclear da era da Guerra Fria, escavado na rocha das colinas do centro de Estocolmo. Embora pareça um abrigo seguro, o Wikileaks sofreu vários ataques cibernéticos.

Durante meses, o site fundado pelo australiano Assange, ramificou seus servidores em diferentes locais, tais como a Suécia e a Finlândia para evitar o uso de um único centro de dados, tendo em conta as contínuas tentativas de fechar o site.

 

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook