Atualizado em: 4 maio 2011

Uma visão aprofundada do Ubuntu 11.04

Neste artigo é possível compreender algumas das mudanças mais significativas feitas pela Canonical no Ubuntu. Esta versão está melhor do que nunca com a área de trabalho Unity.

wallpaper-ubuntu-10A Canonical finalmente lançou a versão final do Ubuntu 11.04 após três versões alfa e duas beta. O nome código desta versão é Natty Narwhal e está cheia de surpresas agradáveis. Sem dúvida, a mudança mais notável é na mudança do desktop clássico para a Unity. Se você é alguém que experimentou o Ubuntu 10.10 pra laptops, já viu a interface em ação. Para quem não conhece, saibam que há alterações significativas quando comparada com o ambiente GNOME clássico. A Unity é muito intuitiva e fácil de manusear.

INSPIRAÇÃO NO MAC E WINDOWS

A Unity traz um pouco de Mac, mas também incorpora características do Windows 7. Assim, o menu de aplicativos desaparece e em vez disso há um buscador  semelhante ao Spotlight. Também apreciamos a ausência da barra de menus nos aplicativos ao estabelecer uma única no topo da tela. À medida que mudamos de uma para outra, o menu também muda. Para otimizar o espaço da tela, quando você maximiza um aplicativo, o menu se integra na barra de título.

publicidade:

Talvez a mudança mais notável seja a eliminação da barra de tarefas. Em vez disso, criaram um lançador de aplicativos muito semelhante ao Dock do Mac. Trata-se de uma barra onde são exibidos uma série de ícones para os programas, que podemos adicionar ou remover conforme nossa conveniência. Quando você executa um software, seu ícone irá aparecer no Launcher, e ao fechá-lo, ele desaparece, mas é possível fixá-lo também.

Do Windows 7, o Ubuntu tomou emprestado a gestão do tamanho de janela. Quando você arrasta uma janela para a borda da tela, direita ou esquerda, ele automaticamente redimensiona a metade vertical e ao arrastar a extremidade superior, ela é maximizada.

MAIS QUE DESKTOP

No entanto, as mudanças não são apenas na área de trabalho. A estabilidade foi reforçada com o kernel 2.6.38 que oferece maior compatibilidade com os chipsets gráficos da Intel, NVIDIA e ATI Radeon. Além disso, ele acrescenta um interessante pacote de aplicações bem atualizadas, a suíte de escritório tornou-se o LibreOffice 3.3.2, deixando de lado o projeto OpenOffice que se tornou pago (A Sun planeja torná-lo livre novamente).

Outra atualização interessante é a versão final do Firefox 4, que suporta CSS3, HTML 5 e as mais recentes tecnologias web. O player de música padrão não será mais o Rhythmbox, mas o Banshee, e o visualizador de imagens Shotwell foi atualizado para a versão 0.9.0.

A Canonical também melhorou a funcionalidade do Ubuntu Software Center, de modo que agora nós podemos testar aplicativos sem instalá-los para ver se o resultado nos convence (ótimo!). Igualmente, vemos pequenos avanços no Ubuntu One, cujo painel de controle foi redesenhado, e, finalmente, apesar de ter se especulado a troca para o Thunderbird, a Canonical manteve o cliente de e-mail Evolution.

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook