Atualizado em: 23 agosto 2013

Programa Espacial Brasileiro: O que o Brasil desenvolve

A Agência Espacial Brasileira (AEB) e o Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE) trabalham em conjunto para lançar o Veículo Lançador de satélites (VLS)-1 com uma carga útil, já nos próximos anos.
Você Sabia?
Que Arqueólogos afirmam ter identificado micrólitos de 71 mil anos na África do Sul, os mais antigos conhecidos
Programa Espacial Brasileiro 1

Programa Espacial Brasileiro é um termo genérico que compreende a pesquisa e o desenvolvimento das tecnologias de veículos lançadores

O Programa Espacial Brasileiro é reconhecido internacionalmente por ter uma base sólida no desenvolvimento na área de engenharia e tecnologia, além da infraestrutura de apoio às atividades espaciais e por possuir muitos observatórios e laboratórios de pesquisa.

O Brasil começou a desenvolver atividades espaciais na década de 60, sendo que o primeiro Centro de Lançamento (CLBI) foi construído em 1965. Já em 1967, um foguete de sondagem foi lançado na atmosfera, e em 1993, o primeiro satélite do Brasil chegou à órbita do planeta.

publicidade:

Sobre o Programa

O Programa Espacial Brasileiro desenvolve a aplicação de tecnologias utilizadas em suas pesquisas espaciais e as utiliza em áreas de grande impacto social-econômico, como telecomunicações, meteorologia e imagens do planeta. Mas o Programa Espacial Brasileiro ainda desenvolve foguetes de sondagem e lançadores de satélites. Onde os foguetes de sondagem são utilizados nas missões de exploração do espaço que podem lançar cargas úteis, como experimentos científicos e tecnológicos. Já os lançadores de satélites são artefatos capazes de lançar satélites de 100 à 300 Kg à uma altura de 200 à 1.000 Km.

A Agência Espacial Brasileira que é responsável pelo Programa Espacial Brasileiro, é também responsável por coordenar o Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) e o Centro de Lançamento Barreira do inferno (CLBI), além de gerenciar as atividades do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE) que é vinculado ao Centro Técnico Aeroespacial (CTA).

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook