Atualizado em: 16 outubro 2011

O futuro está na computação móvel

A Intel espera ver os dispositivos com seus processadores no mercado a partir da segunda metade de 2012, com uma versão melhorada do Atom que vai consumir menos recursos.
Intel CEO IDF 2011

Intel CEO IDF 2011

O futuro próximo da computação pessoal é móvel e de baixo consumo de energia. Pelo menos, isso foi sugerido no último Intel Developer Forum (IDF 2011), realizado em San Francisco.

E em se tratando de computação móvel, a grande novidade é que a próxima versão do Android será suportará oficialmente os processadores Intel. Até agora, somente funcionavam com chips ARM, que estão presentes nos celulares, smartphones e tablets de todos os fabricantes.

publicidade:

A Intel espera ver os dispositivos com seus processadores no mercado a partir da segunda metade de 2012, com uma versão melhorada do Atom que vai consumir menos recursos.

A Intel confia tanto em sua capacidade de reduzir a quantidade de eletricidade consumida pelos seus próximos processadores que mostrou um protótipo movido por uma célula solar do tamanho de um selo, algo que não é possível com os modelos atuais e processadores de RAM experimentais que são sete vezes mais eficientes que os atuais.

A empresa insistiu novamente em chamar atenção para seus ultrabooks, uma linha de notebooks finos, semelhantes ao MacBook Air da Apple, e com base nos sucessores da linha de laptops Sandy Bridge. A Intel tentou demonstrar as qualidades positivas destes produtos no IDF 2011.

A Intel espera que os primeiros modelos de ultrabooks sejam colocados à venda ainda este ano, e que cheguem a constituir 40% das vendas de portáteis em 2012.

A interface Thunderbolt estará disponível para PC também no próximo ano. Trata-se de um conector parecido com USB que permite transferências de dados mais rápida e adiciona uma porta gráfica. Intel estreou esta interface na última versão do Mac da Apple.

Com mais velocidade, também teremos menor consumo de energia, visto que o tempo de transferência será menor, logo as baterias irão durar cada vez mais, tornando os portáteis cada vez menos dependentes da tomada.

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook