Atualizado em: 15 julho 2011

O Chrome OS é legal?

Que tal refletir comigo sobre 10 questões a respeito do Chrome OS, o sistema operacional baseado na nuvem que a Google está desenvolvendo.

1. Outro sistema operacional?

internet_google_chrome_osSerá que o mundo precisa de outro sistema operacional para computadores? A Google propõe o Chrome OS como uma alternativa leve e rápida para servir aplicações Web, mas a maioria dos usuários nem entendem o que isso significa. No caso do Chrome OS não ter uma velocidade superior ou muito elevado nível de eficiência (desde a instalação até a implementação), que sentido teria esse projeto?

publicidade:

 

2. Open source não significa sucesso garantido

Na verdade, o Chrome OS é baseado em código aberto e isso é uma coisa boa, mas será que o mundo precisa de outra distribuição Linux estilizada?

Ainda não há razões para crer que o Chrome OS vai ser diferente de outras distribuições do sistema operacional Linux, como o Ubuntu, Red Hat ou Kurumin. Além disso, a experiência revela que muitos usuários, especialmente aqueles que não têm porque conhecer em profundidade esses sistemas, decidem desinstalar o Linux de seus laptops para colocar novamente o Windows. Eu mesmo já tentei várias vezes usar Linux, mas sempre perdi a paciência quando não conseguia suporte técnico avançado. A resposta padrão nos fóruns era: “somos voluntários e não temos obrigação de te responder”, por mais educada que fosse a pergunta e por maior que fosse o tempo dispensado para a elucidação da dúvida.

web

3. E sobre o Android?

Todos as atenções da Google estavam em cima do mercado de netbooks com Android. É verdade que este sistema é amplamente focado no segmento de dispositivos móveis com acesso à Internet, mas a empresa (e outros fabricantes) tinha em mente uma futura versão alterada para laptops. Alguns analistas dizem que o Chrome OS vai acabar diluindo a marca Android, mas antes vai criar grande confusão no mercado Linux.

 

4. A mídia puxa o saco da Google

A mídia descreve o Chrome OS como o próximo grande passo da Google. Se não fornecer tudo que se espera dele, se não conseguir melhorar significativamente a experiência do usuário, poderá ser considerado um fracasso completo. Acredite ou não, o Google está arriscando muito com essa plataforma. Se o usuário gostasse de sistemas baseados em Linux, o Windows já teria fechado suas janelas há muito tempo.

 

5. Google não é uma fornecedora de plataformas

A Google cria aplicativos web, mas não as plataformas. Um aplicativo da Web pode falhar, mas a plataforma não. Que o diga a Microsoft e sua tela azul (Blue Screen of Death). Se algo semelhante acontecesse com o Chrome OS, os usuários rapidamente retornariam ao Windows, Mac ou qualquer outra distribuição Linux mais robusta.

Desculpe Google, sou seu fã, mas largar o Windows, só se for por coisa mais fácil e prática de usar.

 

6. O tempo não é seu aliado

Muitos analistas previam que o Chrome OS não estaria disponível até o final de 2010 como prometia a Google e hoje, já entrando em abril de 2011, vemos que eles tinham razão, e que no processo todo, também entram em jogo outros segmentos, como o desenvolvimento de hardware ou drivers. Isso deixou tempo suficiente para que o Windows 7 se estabelecesse no mercado de netbooks.

 

7. Más relações com a Apple

A Google e a Apple andaram de mãos dadas há algum tempo para lutar contra a Microsoft. Enquanto a primeira dominou o mercado de buscas e aplicativos da Web, a segunda foi responsável por fazer o mesmo com eletrônicos de consumo móveis, através do iPhone, Ipod e iPad.

O anúncio do Chrome OS marca uma virada nas relações entre as empresas, e até mesmo a figura de Eric Schmidt, CEO da Google e também pertencente à equipe executiva da Apple, está desvanecendo. Assim, Google e Apple poderiam tornar-se concorrentes, deixando as coisas mais fáceis para a Microsoft.

 

8. Sem Internet, não funciona 100%

Windows, Mac OS X e as distribuições Linux são executadas de forma independente da Internet. Enquanto isso, o Chrome OS será baseado na Web, então você precisa da internet para torná-lo totalmente funcional. O que vai acontecer com aqueles usuários que por algum motivo e outro não conseguem se conectar? Isto é especialmente verdade para os brasileiro, que pasmem, em cidades como o Rio de Janeiro, tem serviços de Internet como o meu, que me deixou desconectado 6 dias, depois com 2 dias de navegação extremamente lenta e mais dois dias de inúmeras quedas de conexão.

É claro que a Google sabe disso e deve tentar superar esta limitação com algo como o Google Gears para habilitar a funcionalidade offline, mas este tipo de trabalho tem muitas limitações para alguns usuários.

 

9. Chrome OS parte de uma estratégia?

Vários especialistas do setor e até mesmo blogueiros acreditam que o Chrome OS está sendo criado pela mesma razão por que a Google lançou o Google Apps: para distrair. Alguns acreditam na verdade a Google simplesmente tenta bagunçar o mercado da Microsoft criando alguns produtos que competem com a gigante do software. Enquanto isso, a Google continua a manter a hegemonia completa no mercado que realmente lhe dá dinheiro, a pesquisa de Internet.

 

10. A Google não pode fracassar

Há muitos que questionam a necessidade de ter o Chrome OS no mercado de sistemas operacionais, assim como fizeram com o Android.

Mas o mesmo CEO do Google, Eric Schmidt, afirmou que as regras mudaram, e que o Chrome OS será o anti-sistema operacional. Graças à posição de liderança que a Google detém nas buscas, a empresa age como se não se preocupasse muito em ganhar dinheiro com software livre.

Mas também é verdade que, neste caso, o dinheiro não é tudo. Uma falha neste importante projeto para derrubar o Windows pode causar a perda do respeito que a empresa vem colhendo nestes relativamente poucos anos no mercado e, consequentemente, poderia se tornar o início de seu declínio. É por esta razão que o fracasso não é uma opção para o Chrome OS.

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook