Atualizado em: 22 março 2011

Google investe em ferramentas que detectam censura

A Google decidiu investir milhão de dólares em um grupo de pesquisadores da Georgia Tech, para desenvolverem ferramentas para detecção de filtros de censura.

Google LogoA Google é uma gigante na rede. Poucos podem duvidar de sua influência, e é óbvio que sua presença é evidente em quase todos os cantos do amplo universo digital. Após várias disputas com o governo chinês, e da censura promovida pelo Egito, a Google decidiu investir milhão de dólares em um grupo de pesquisadores da Georgia Tech, para que possam desenvolver ferramentas para detecção de filtros de censura governamentais ou outros problemas semelhantes na rede.

 

DOIS ANOS DE PESQUISA BANCADAS PELA GOOGLE

A injeção de capital financiará durante dois anos o trabalho deste grupo de pesquisadores, mas há a possibilidade de aumentar a quantidade para outros 500.000 dólares, se necessário, para mais um ano. No final do projeto espera-se ter desenvolvido uma infra-estrutura que vai monitorar redes globais em busca dos erros causados ​​pela censura ou repressão.

publicidade:

O objetivo deste projeto é obter uma rede transparente, limpa e em que as pessoas possam desfrutar da liberdade da Web. Além disso, os usuários poderão monitorar seus próprios provedores de Internet para ver se eles exercem qualquer controle ou restrição do serviço contratado, como: restrição de largura de banda ou filtragem seletiva.

 

DECLARAÇÕES DO GERENTE DO PROJETO

Nas palavras do gerente de projeto, Wenke Lee (tradução livre):

Imagine que aconteça novamente algo semelhante ao que houve recentemente no Egito, quando a Internet ficou basicamente fora do ar. Se tivermos uma comunidade de usuários e participantes na Internet no país em causa, saberemos de imediato, quando um governo ou provedor começar a bloquear o tráfego ou interromper as informações da web visando impedir algum tipo de conteúdo.

 

OPINIÃO

A ideia é boa, muito boa, por isso espero que a investigação tenha sucesso. Finalmente poderemos esfregar na cara dos nossos provedores suas práticas de trafic shapping e outros tipos de controles que estão longe de serem ilimitados, como a maioria gosta de apregoar aos quatro ventos.

O trafic shapping é uma técnica difícil de detectar pelo usuário comum, que se consiste em limitar a velocidade para determinados tipos de trafego na Internet, como por exemplo, as trocas de arquivos feitas por programas P2P e torrent como, Kazaa, Limewire, eMule, uTorrent e outros.

Via: Ars Technica

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook