Atualizado em: 21 fevereiro 2012

Exercito comprará softwares para prevenir ataques de hackers

Especialista diz que o governo também precisa investir na segurança de empresas privadas, para prevenir possíveis crises econômicas.
Você Sabia?
Em janeiro deste ano, as Forças Armadas investiram quase 6 milhões de reais na compra de um antivírus especial, desenvolvido pela BluePex, e de um software que simula ataques cibernéticos

O Exército brasileiro anunciou a compra de softwares de segurança. As medidas são parte de um planejamento de segurança do governo para se defender contra possíveis roubos de dados, ataques a páginas e redes institucionais.

O general Antonio Santos Guerra, diretor do Centro de Comunicações e Guerra Eletrônica do Exército (Ccomgex), concedeu entrevista à BBC Brasil sobre a proteção dos quartéis do país. Segundo Guerra, a EBnet, que reúne os quartéis de todo o país, está bem protegida, porém ainda há alguns pontos vulneráveis à ataques.

publicidade:

Centro Integrado de Telemática do Exército (CITEx) recebeu a visita do Comandante do Exército, General de Exército Enzo Martins Peri,

Em janeiro deste ano, as Forças Armadas investiram quase 6 milhões de reais na compra de um antivírus especial, desenvolvido pela BluePex, e de um software que simula ataques cibernéticos, criado pela Decatron. Guerra disse que os produtos ainda estão em fase de testes, e que o prazo de entrega do antivírus é de 12 meses.

Medo do Anonymous

No dia 06/02 o grupo Anonymous Brasil realizou ataques contra os sites do Banco Central, Citibank, BMG e PanAmericano, que ficaram instáveis por algum tempo. O grupo também afirmou que foram os responsáveis pelos ataques aos bancos Itaú, Bradesco, HSBC e Banco do Brasil.

O FBI informou que está investigando de que modo os ativistas ligados ao grupo hacker interceptaram uma conferência telefônica entre agentes americanos e a empresa britânica Scotland Yard, onde falavam sobre o combate aos hackers. Também foram registrados ataques em sites americanos e gregos.

F-Secure diz que governo precisa investir em empresas privadas

Mikko Hypponen, especialista da empresa finlandesa F-Secure, disse que o Brasil é considerado o líder na produção de vírus conhecidos como “Cavalos de Troia”, softwares utilizados para atacar sistemas de bancos. Hypponen disse que o governo também precisa investir na segurança de empresas privadas, para prevenir possíveis crises econômicas.

A Federação Brasileira de Bancos – Febraban revelou que as fraudes bancárias realizadas pela internet somaram 685 milhões de reais no primeiro semestre de 2011, 36% a mais que no ano passado. Até o final do ano, ainda devem ser comprados outros quatros sistemas de segurança, que serão utilizados para detectar invasões e serviços de perícia.

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook