Atualizado em: 28 junho 2011

Cientistas criam o maior campo magnético do mundo

Os cientistas alcançaram esse marco através da construção de uma bobina dupla de 200 kg, no qual uma corrente elétrica cria o gigantesco campo magnético em poucos milissegundos.

PicCientistas alemães conseguiram criar o maior campo magnético do mundo, de 91,4 tesla, que superou o recorde anterior em 2,4 unidades, conforme anunciou nesta terça-feira o Centro Helmholtz Dresden-Rossendorf (HZDR), especializado em pesquisas de alta tecnologia.

Os cientistas alcançaram esse marco através da construção de uma bobina dupla de 200 kg, no qual uma corrente elétrica cria o gigantesco campo magnético em poucos milissegundos.

publicidade:

Assim, o Laboratório de Alto Campo Magnético (HLD) do HZDR se torna o primeiro no mundo a disponibilizar para pesquisa, campos magnéticos acima de 85 tesla, úteis para estudar precisamente a carga elétrica dos materiais do futuro.

“Quanto mais forte o campo magnético, maior será a precisão com que podemos estudar as substâncias que poderiam ser usadas ​​em novos componentes elétricos, também chamados de supercondutores”, disse o diretor do HLD, Joachim Wosnitza.

Os cientistas realizaram principalmente estudos preliminares sobre materiais que são utilizados pela indústria. “Esperamos que em dez ou vinte anos nosso trabalho é se torne útil para a sociedade”, disse Wosnitza.

Segundo Wosnitza, a criação de campos magnéticos com estas características é complicada, porque as bobinas devem suportar uma pressão atmosférica 40 mil vezes acima do normal. “Com uma força desta magnitude, o cobre iria se quebrar em pedaços como em uma explosão”, disse o diretor do HDL. Portanto, os cientistas usam uma liga de cobre especial e um tipo de material sintético usado em coletes à prova de balas como isolante.

O Laboratório Nacional de Alto Campo Magnético de Los Alamos, no estado norte-americano do Novo México, detinha o recorde até agora, com um campo magnético de 89 tesla.

Fonte: HZDR

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook