Atualizado em: 23 junho 2011

Tratamento Psicológico Gratuito SP

Nos dias de hoje existem clínicas de tratamento psicológico que oferecem seus serviços de forma gratuita, com o objetivo de tornar a psicologia mais acessível.

PsicologiaOs tratamentos psicológicos gratuitos na cidade de São Paulo são realizados com o comprometimento e dedicação de profissionais que permitem atendimentos qualificados e acessíveis a todos. Para conseguir um tratamento gratuito ou com um preço bastante reduzido, é necessário entrar em contato com a clínica que disponibiliza este tipo de serviço.

Devemos lembrar que os tratamentos são específicos e são feitos de acordo com as necessidades de cada paciente, possibilitando desta maneira uma melhor adequação do procedimento escolhido ao problema em questão. Apesar de se tratar de um serviço gratuito, os profissionais que o oferecem são, em sua maioria, altamente capacitados.

publicidade:

Onde encontrar?

Podemos encontrar profissionais em universidades, clínicas e até mesmo no Sistema Único de Saúde (SUS). Nas universidades a prestação destes serviços é obrigatória por lei e são feitos por alunos do último ano do curso de Psicologia. No SUS há o impasse de ser quase impossível conseguir uma vaga e o número de sessões é restringido. Nas clínicas que oferecem o serviço de forma gratuita encontramos as melhores condições para se obter boas evoluções e melhora rápida.

Clínicas

AjudaPodemos encontrar diversas clínicas em São Paulo que oferecem de forma gratuita estes serviços. Abaixo destacamos algumas das clínicas mais referenciadas:

  • Centro de Atendimento e Apoio ao Adolescente (CAAA);
  • Associação Paulista de Síndrome do Pânico;
  • Centro de Referência e Apoio à Vítima;
  • Clínica Psicológica da PUC;
  • Instituto de Psiquiatria do HC – FMUSP;
  • Instituto Sedes Sapientiae;
  • Clínica Psicológica Objetivo;
  • Centro de Estudos e Orientação da Família;
  • Clínica Psicológica Mackenzie;
  • Centro de Referência da Infância e da Adolescência.

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook