Atualizado em: 24 fevereiro 2011

Secnidazol | Bula, Preço

Secnidazol | Bula, Preço

Todos os medicamentos são obrigatórios ter as bulas com as indicações, posologia, efeitos colaterais, todas as informações necessárias aos pacientes ou usuários dos medicamentos. As bulas é um mecanismo informativo que deve ser lido minusiosamente e com muita atenção.

O medicamento Secnidazol deve ser tomado somente com prescrição do médico, pois todo e qualquer tratamento deverá ser feito com acompanhamento de profissionais. Todas as decisões quem deve ou não tomar o Secnidazol é de responsabilidade do médico, somente ele pode levar em consideração as características de cada paciente e orientá-los.

O Secnidazol é indicado em casos de amebíase intestinal, amebíase hepática e tricomoníase e giardíase. Pode ser encontrado o genérico do Secnidazol a um custo inferior que o original. O preço pode variar de R$10,00 a R$ 540,00. Tudo depende da quantidade de comprimidos ou a miligramas dos mesmos.

Conforme a bula esse medicamento deverá ser tomado por apenas quatro dias ou conforme prescrição médica. A Medley fabricante do Secnidazol, lançou no mercado caixas com 2 ou 4 comprimidos de 1000 mg.

Nunca se alto medique, isso poderá trazer conseqüências irrerversíveis para sua saúde. Todo e qualquer problema o médico deverá ser consultado, somente ele está qualificado para reconhecer uma doença e saná-la com medicamentos apropriados.

Segue a bula abaixo para consulta:

Apresentação de Secnidazol

Cada comprimido contém: Secnidazol ………………………………………………………………………………………1000mg

excipientes q.s.p……………………………………………………………………….1 comprimido (celulose microcristalina, hidroxipropilmetilcelulose, dióxido de silício coloidal, amidoglicolato de sódio, polivinilpirrolidona, croscarmelose sódica e estearato de magnésio).
Secnidazol – Indicações

Infecções por parasitas, como: giardíase, amebíase intestinal (todas as formas), amebíase hepática e tricomoníase. O Secnidazol pode ser uma alternativa terapêutica também para as vaginites inespecíficas (geralmente provocadas pela Gardnerella vaginalis).
Contra-indicações de Secnidazol

O Secnidazol É CONTRA-INDICADO PARA PACIENTES COM ANTECEDENTES DE HIPERSENSIBILIDADE À DROGA, A OUTROS DERIVADOS IMIDAZÓLICOS OU A QUALQUER OUTRO COMPONENTE DA FÓRMULA. SUSPEITA DE GRAVIDEZ (OU NOS TRÊS PRIMEIROS MESES DESTA) E ALEITAMENTO.
Advertências

Não usar o medicamento quando houver suspeita de gravidez (ou nos 3 primeiros meses desta) e aleitamento. Deve-se evitar o consumo de bebidas alcoólicas durante o tratamento com Secnidazol e até mesmo 4 dias após o seu término. Recomenda-se o controle freqüente do tempo de protrombina e adequação posológica dos anticoagulantes orais durante o tratamento com Secnidazol e até 8 dias após o seu término. Evitar o uso em pacientes com antecedentes de discrasias sangüíneas ou distúrbios neurológicos. “A substância nitroimidazol produziu o aparecimento de câncer em experimentação com animais, portanto, deve ser considerado como potencialmente perigoso em seres humanos”.
Uso na gravidez de Secnidazol

Não usar o medicamento quando houver suspeita de gravidez (ou nos 3 primeiros meses desta) e aleitamento.
Interações medicamentosas de Secnidazol

É desaconselhada a associação com dissulfiram, devido ao risco de surto delirante e estado confusional; também com o álcool, devido à possibilidade de ocorrência do efeito antabuse (calor, vermelhidão, vômito, taquicardia). Deve-se estar precavido ao associar o Secnidazol aos anticoagulantes orais (indicação descrita com a varfarina), uma vez que esta associação aumenta o efeito anticoagulante e o risco hemorrágico, por diminuição do metabolismo hepático da varfarina. A cimetidina pode inibir o metabolismo dos nitroimidazólicos, aumentando os efeitos adversos dependentes de dose. O uso concomitante ao lítio pode aumentar as concentrações séricas deste e, em alguns casos, levar à toxicidade pelo mesmo. Alterações em exames clínicos e laboratoriais: O Secnidazol pode interferir com os resultados de várias análises bioquímicas, como na determinação das transaminases hepáticas (AST, ALT) e dos triglicérides, inclusive com a ocorrência de valores iguais zero. Todos os ensaios nos quais foi relatada a interferência envolvem acoplamento enzimático na análise de oxirredução da nicotinamida-adenina-dinucleotídio (NAD).

Reações adversas / Efeitos colaterais de Secnidazol

Como resposta ao uso deste medicamento podem ocorrer as seguintes reações desagradáveis: náuseas, epigastralgia, alteração do paladar (gosto metálico), glossites e estomatites, erupções urticariformes, leucopenia moderada, reversível com a suspensão do tratamento. Também podem ocorrer vertigens, falta de coordenação motora e ataxia, parestesias, polineurites
Secnidazol – Posologia

TRICOMONÍASE: Dose oral única de 2 comprimidos de 1000 mg. A mesma dose é recomendada para o cônjuge. AMEBÍASE INTESTINAL E GIARDÍASE: Dose oral única de 2 comprimidos de 1000 mg.
Características farmacológicas

O Secnidazol é um derivado sintético da série dos nitroimidazólicos, sendo metabolizado no fígado a ácido metilnitroimidazol-2-isopropiônico, que é o metabólito responsável por sua ação parasiticida. O Secnidazol é rapidamente absorvido após a ingestão oral e apresenta concentrações séricas máximas aproximadamente 3 horas após a administração de 2g. Sua meia-vida plasmática é em torno de 25 horas. Sua eliminação, que é essencialmente urinária, é lenta (aproximadamente metade da dose é excretada em 120 horas). O Secnidazol atravessa a barreira placentária e é excretado no leite materno.
Resultados de eficácia

O Secnidazol é um medicamento parasiticida, com ação amebicida, giardicida e tricomonicida. A ação farmacológica máxima é alcançada 3 horas após a administração em dose única de 2g de Secnidazol.
Modo de usar

Descrição do medicamento: comprimido oblongo, de cor creme a levemente amarelado. Os comprimidos devem ser tomados em dose única, exceto para amebíase hepática, onde deverá ser obedecida a orientação médica. O intervalo entre a ingestão dos comprimidos não deverá ser maior do que 30 minutos. O medicamento deve ser administrado junto a uma das refeições, preferencialmente à noite, após o jantar.
Uso em idosos, crianças e em outros grupos de risco

Não há referência contrária ao tratamento de idosos (acima de 60 anos) com Secnidazol. Não deve ser usado por lactentes. Não se aconselha o uso por pacientes com antecedentes de discrasias sangüíneas ou distúrbios neurológicos.
Armazenagem

Deve ser guardado dentro da embalagem original. Conservar em temperatura ambiente, entre 15° e 30° C. Proteger da luz e da umidade.

Secnidazol – Informações

Infecções por parasitas, como: giardíase, amebíase intestinal (todas as formas), amebíase hepática e tricomoníase. RISCOS DO MEDICAMENTO: Contra-indicações – Hipersensibilidade aos derivados imidazólicos ou a qualquer outro componente do produto; suspeita de gravidez ou nos três primeiros meses desta; aleitamento. Advertências – O Secnidazol geralmente é bem tolerado, podendo ocorrer raramente reações desagradáveis como: náuseas, vômitos, dor de estômago, gosto metálico na boca, estomatites e reações alérgicas. Deve ser administrado em uma das refeições, preferencialmente à noite após o jantar. Precauções – Pelo fato de ser um medicamento imidazólico, devem-se evitar a ingestão de bebidas alcoólicas durante o tratamento com Secnidazol e até quatro dias após o seu término. É recomendado também que se evite a administração de Secnidazol aos pacientes com antecedentes de discrasia sangüínea e distúrbios neurológicos. “A substância nitroimidazol produziu o aparecimento de câncer em experimentação com animais, portanto, deve ser considerado como potencialmente perigoso em seres humanos”. Interações medicamentosas – Associações desaconselháveis: Dissulfiram: risco de surto delirante, estado confusional. Álcool: efeito antabuse (calor, vermelhidão, vômito, taquicardia). Evitar a ingestão de bebidas alcoólicas e de medicamentos contendo álcool durante o tratamento com Secnidazol. Associações que necessitam precaução de uso: Anticoagulantes orais (descrito como a varfarina): aumento do efeito anticoagulante e do risco hemorrágico. Recomenda-se controles freqüentes do tempo de protrombina e adequação posológica dos anticoagulantes orais durante o tratamento com Secnidazol e até 8 dias após o seu término. Alterações em exames clínicos e laboratoriais – O Secnidazol pode interferir com os resultados de várias análises bioquímicas como na determinação das transaminases hepáticas (AST, ALT) e dos triglicérides, inclusive com a ocorrência de valores zero. Todos os ensaios nos quais foi relatada a interferência envolvem acoplamento enzimático na análise de oxirredução da nicotinamida-adeninadinucleotídeo (NAD).

 

Fonte: http://www.medicinanet.com.br/


Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook