Atualizado em: 29 julho 2011

Ronco

Descubra o porque que algumas pessoas roncam tanto. Saiba qual a origem do problema e quais os fatores de riscos que levam alguém a roncar. Confira todo o tratamento.

Alguns problemas bem comuns acabam tornando a vida de algumas pessoas um verdadeiro inferno. Muitas pessoas não sabem que um simples problema pode acarretar em severos problemas ou pode indicar que algo está acontecendo com o nosso organismo. Um problema que é muito comum, principalmente nos homens, e que não é levado como um problema é o ronco. Saiba o que é, porque existe e o que fazer.

O que é o ronco?

O ronco é um ruído que é provocado pela alteração das vias respiratórias durante o sono. Essa alteração é o estreitamento ou até a obstrução das vias respiratórias que podem provocar a vibração dessas estruturas levando ao ruído chamado ronco. Em algumas situações o ronco pode ser considerado algo normal, como por exemplo, ao dormir de costas virado pra cima, pois a musculatura da garganta fica mais flácida e a língua desliza um pouco para trás, provocando um leve ruído durante o sono. Agora, caso o ruído seja alto e intenso e aconteça em outras posições, o ronco é classificado como patológico.

publicidade:

Causas

Existem algumas causas existentes que levam ao ronco, como a Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono, que é uma doença que se caracteriza pela parada respiratória tendo duração de pelo menos dez segundos em alguns adultos e cerca de três segundos nas crianças portadoras da doença. Mas não só essa síndrome é causadora do ronco, existem outras causas como:

  • Flacidez nos músculos da boca e da garganta;
  • Amídalas e adenoides hipertrofiadas;
  • Desvio do septo;
  • Pólipos no nariz;
  • Palato em forma de ogiva;
  • Rinite, sinusite e obstruções nasais;
  • Palato mole e úvula aumentados;
  • Queixo retraído;
  • Envelhecimento.

Fatores de risco

Existem pessoas que estão mais propensas a roncar, pois possuem alguns fatores de risco como:

  • Pescoço mais grosso e mais curto;
  • Obesidade;
  • Ingestão de bebidas alcoólicas;
  • Uso de remédios para dormir ou de calmantes;
  • Dormir em decúbito dorsal;
  • Excessos alimentares antes de dormir;
  • Refluxo gastroesofágico;
  • Tabagismo.

Tratamento 

Como parte principal do tratamento, o controle de alguns fatores já ajuda bastante, como mudar a posição na hora de dormir, dormindo de lado por exemplo. Tentar também controlar a alimentação e evitando a obesidade. Para quem é obeso, consultar um nutricionista e começar uma dieta balanceada. Em casos de apneia do sono associada ao ronco, procurar médico para um tratamento mais específico.

 

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook