Atualizado em: 24 agosto 2010

Rinite Alérgica – Sintomas e Tratamento

Como são chatas as crises de rinite alérgica, e muito freqüentes principalmente com o clima seco que estamos tendo nesta época do ano.

publicidade:

O que causa a Rinite Alérgica?

Muitas substâncias podem causar alergia como a poeira de casa, pólens e alguns alimentos.

Aqui no Brasil a poeira domiciliar é o fator mais importante.

Ela é constituída por descamação da pele humana e de animais, restos de pelos de cães e gatos, restos de barata e outros insetos, fungos, bactérias e organismos microscópicos que são chamados ácaros (família dos aracnídeos).

Quais os sintomas da Rinite Alérgica?

Os sintomas que os pacientes portadores de rinite alérgica apresentam são obstrução nasal (entupimento), coriza, espirros algumas vezes o paciente espirra mais 20 vezes seguidas e coceira no nariz.

Esta coceira pode ser na garganta ou nos olhos.

Todos os doentes apresentam tais sintomas minutos após o contato com o alérgeno, e cerca de metade deles terão novamente sintomas cerca de 4 a 6 horas depois.

Como tratar Rinite Alérgica?

O tratamento dos pacientes portadores de rinite alérgica é composto por três pontos fundamentais:

A- Higiene ambiental.

B- Tratamento medicamentoso.

C- Vacinas antialérgicas.

A forma mais simples de tratar alergia é evitar o contato com a substância que desencadeia os sintomas.

Por exemplo, se o paciente apresenta obstrução nasal, coriza e espirros quando ingere determinado alimento, o mais fácil a fazer é deixar de comê-lo.

O problema é que não é fácil evitar o contato com o ácaro, a principal causa de rinite alérgica.

No entanto, algumas medidas simples podem ser adotadas para diminuir a proliferação desses insetos.

A casa e principalmente o quarto onde o doente dorme devem ser limpos com bastante frequência.

Infelizmente, a vassoura e espanador de pó apenas espalham o pó pelo ambiente.

Os aspiradores são capazes de reter alguma sujeira, porém normalmente sue filtro não é desenvolvido para limpar o ar por completo e, muitas vezes, o que ele faz é uma pulverização de poeira no ambiente.

Aspiradores com filtros especiais e de alta eficiência existem, mas tem custo elevado.

O ideal é que não existam carpetes cortinas, tapetes, bichos de pelúcia, almofadas, móveis e outros e utensílios que possam acumular poeira nos ambientes em que os portadores de rinite vivem. Nesse caso, o uso de pano úmido na limpeza é uma forma bastante eficaz para remover a poeira.

Deve-se evitar o uso e contato com travesseiros e almofadas de penas.  A utilização de capas protegendo os colchões e travesseiros, assim como de substâncias para eliminar os ácaros do ambiente apresentam eficácia quando aplicados corretamente.

Outro ponto importante a considerar é a existência de boa ventilação na casa e no quarto. Em ambientes ensolarados, é mais difícil o bolor (fungo) se desenvolver.

Outra medida fundamental é evitar o contato com substâncias capazes de irritar o nariz. Cheiros de perfumes, produtos de limpeza, produtos para deixar os ambientes com cheiro agradável, fumaça de cigarro, tintas, inseticidas e poluição, são alguns exemplos de substâncias capazes de irritar o nariz, e desencadear sintomas. Outros fatores i como as mudanças bruscas de temperatura, frio e umidade do ar são também prejudiciais aos doentes com rinite alérgica.

O uso de medicamentos de prevenção e de combate ao alívio dos sintomas.

Além dos medicamentos descongestionantes, anti-histamínicos, estabilizadores de membranas, e corticosteróides ainda existem as vacinas que são mais demoradas, mas que em muitos casos diminuí a sensibilidade do doente àquela substância ao qual ele era alérgico. Muitas vezes, chegam ao ponto onde não há mais necessidade do uso de medicamentos.

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook