Atualizado em: 16 fevereiro 2011

Pele Flacida – O que fazer, Tratamento

Em tempos de culto ao corpo, é fundamental cuidar da aparência e não deixar nada fora do lugar. Ao contrário de anos atrás, cuidar da aparência está cada vez mais ao alcance de homens e, principalmente, mulheres. Atualmente não nos falta informação e conhecimento sobre hábitos alimentares e de vida que proporcionam uma vida mais saudável. Aliados a isso, cada vez mais temos academias em nossas cidades com preços mais acessíveis.

publicidade:

Um dos fatores mais preocupantes principalmente para as mulheres é com a flacidez da pele. De fato, não tem como fugir dessa regra, uma vez que todos acabamos por envelher, porém exixtem diversas maneiras de atenuar os sinais do tempo. É fato que em cada época de nossas vidas, a pele exige cuidados.

Confira abaixo.

20 anos – até essa idade a pele ainda brilha, a textura é macia, tem maior capacidade de reter água, melhor irrigação sangüínea e oxigenação. As fibras de colágeno e elastina, que sustentam a pele, são produzidas com muita rapidez.

O que fazer – use filtro solar adequado para o seu tipo de pele. Lembre-se: os efeitos do sol são cumulativos. Quem não se protegeu nesses 20 primeiros anos já pode apresentar algumas marcas de envelhecimento, como rugas superficiais nas pálpebras, manchas e pintas. Manter a pele limpa e hidratada é importante. Quanto mais ressecada, menos elasticidade ela terá e mais cedo os sinais de envelhecimento aparecerão.

25 aos 35 anos – a reposição de elastina e do colágeno é menor, por isso a pele tende a ficar mais flácida. Nessa fase, quem não se protegeu do sol ou continua não se protegendo, já pode apresentar linhas finas de expressão, no contorno dos lábios, na testa e entre as sobrancelhas. Por volta dos 35 anos, a pele tende a ficar um pouco mais flácida e há uma ligeira perda da firmeza do pescoço.

O que fazer – a partir dos 25 anos é permitido o uso de substâncias mais agressivas, como o ácido glicólico e as vitaminas antioxidantes, que ajudam a retardar o envelhecimento. Limpeza, tonificação, hidratação e nutrição precisam ser feitos religiosamente pela manhã e à noite. E os produtos devem ser adequados ao seu tipo de pele. Também já é hora de adotar um creme específico para a região ao redor dos olhos, evitando os famosos pés-de-galinha. Mais perto dos 30 anos, é possível fazer alguns peelings em consultórios para a retirada de manchas e rugas superficiais. O uso de cremes à base de ácido retinóico pode ser periódico, para atenuar as linhas finas e aumentar a produção de colágeno e elastina. Não esqueça do filtro solar, que deve ser usado todos os dias (não só quando você vai para a praia).

Mais de 35 anos – a gordura subcutânea passa a ser reabsorvida pelo organismo, deixando a pele cada vez menos elástica e brilhante. Rugas de expressão no contorno dos olhos e dos lábios podem ser evidentes. Depois dos 45 anos, a textura da pele fica mais flácida e espessa e, após os 55, pode ocorrer flacidez nas maçãs do rosto. E quanto mais o tempo passa, mais grossa e enrugada fica a pele.

O que fazer – para prevenir as rugas futuras o seu dermatologista pode recomendar cremes com vitaminas antioxidantes, ácidos ou hormônios. Se o objetivo é apagar as marcas que já ganhou, você tem inúmeros tratamentos estéticos à sua disposição: peelings, esfoliações mais profundas, botox e técnicas de preenchimento cutâneo, por exemplo. Também é possível recorrer à cirurgia plástica. Mas não tome nenhuma decisão precipitada. Afinal, você pode se sentir bonita e atraente com a idade que tem.

Cinco fatores que aceleram o envelhecimento

Sol – É o principal fator de envelhecimento da pele. Os raios ultravioletas atingem suas camadas mais profundas, desorganizando as células, que, a partir dessa agressão, formam o colágeno e elastina (proteínas que dão sustentação à pele) de má qualidade. Rugas e flacidez são os resultados.

Stress – Ele envelhece todas as células do corpo. Quando o estado de stress é crônico, o sistema imunológico, responsável pelas defesas do corpo, sofre uma queda e nos deixa vulnerável a várias doenças.

Cigarro – além de fazer mal ao pulmão e ao coração, o tabaco provoca o envelhecimento precoce da pele: faz com que as veias se contraiam, sejam menos oxigenadas e os nutrientes mal cheguem à sua superfície. Ela fica flácida, perde a elasticidade e o brilho.

Vida sedentária – o futuro pode ser cruel para quem não se mexe. Perda de tônus muscular, agilidade, flexibilidade e força; acúmulo de gordura no corpo; reflexos ruins; menos disposição; risco de doenças, como a osteoporose; falta de oxigenação; coração e pulmão mais fracos são alguns dos resultados.

Radicais livres – essas moléculas de oxigênio são altamente agressivas: atacam e oxidam as células do corpo, provocando doenças como reumatismo e câncer. Os radicais livres se formam naturalmente no organismo, mas o cigarro, a poluição, os raios solares e a alimentação desequilibrada favorecem seu aumento.

Fonte: Terra Beleza

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook