Atualizado em: 18 maio 2010

Maconha Medicinal

Citado há 6 mil anos nos mais antigos livros da medicina chinesa, o uso terapêutico da maconha ganha espaço no século 21. Em Israel, pacientes cadastrados para tratamento à base de maconha já podem usar o fumódromo de um hospital público.

publicidade:

Isso mesmo, eles fumam dentro do hospital!

Nesta semana, pela primeira vez, o governo israelense autorizou um hospital público a realizar o tratamento e a receitar maconha para os doentes. E mais os pacientes podem fazer uso da medicação, quer dizer, fumar a maconha, dentro do hospital.

O Dr. Itay Goor Aryeh diz que a autorização para usar a maconha dentro do hospital foi o passo natural no processo que já autorizava o uso médico da erva em ambulatórios e na casa dos pacientes.

Em Israel, o uso recreativo da maconha é proibido. Mas, para fins médicos, a droga foi liberada no começo da década. E, a partir de 2004, uma organização não-governamental chamada Tikun Olam, que quer dizer “consertando o mundo”, foi autorizada a iniciar o plantio da erva.

Uma das estufas mantidas pela organização, e autorizada pelo governo israelense, fica em algum ponto no norte do país. Por medida de segurança, não se pode dizer a localização exata, mas ali estão 10 mil vasos de maconha que serão usados para fins medicinais.

O cultivo é cuidadoso: a área reservada às plantas mais novas é uma espécie de maternidade, com luz artificial 24 horas.

A Maconha medicinal é usada no combate a dor, alívio de náuseas e vômitos, estimulação do apetite e câncer. A dose média por paciente é de 60g por mês, o que seria equivalente a mais ou menos 60 cigarros.

Mas os médicos esclarecem o tratamento não funciona para todos os pacientes. Muitos sentem tonteira e confusão mental, e é contra indicado a jovem com menos de 20 anos, que podem desenvolver esquizofrenia quando mais velhos.

Pelo menos 400 substâncias da maconha ainda estão sendo estudadas. Mesmo assim, alguns países começam a testar a receita já seguida, principalmente, em Israel, Holanda, Canadá e Estados Unidos.

Em novembro, na cidade americana de Portland, um café passou a permitir o consumo a pacientes com certificado médico. É a primeira opção nos Estados Unidos que estes pacientes têm para usar a maconha fora de suas casas.

Será que esta novidade da medicina chegará ao Brasil?

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook