Linfócitos Típicos

Célula indicadora do estado saúde

Buscar informações de como anda a saúde, é uma pratica que tem que ser adotada por todos, mas nem sempre é dessa forma, e algumas pessoas deixam de passar por exames, que são verdadeiras prevenções de doenças graves.

E um dos indicadores se as coisas estão caminhando normalmente ou não, com a saúde, são os linfócitos, um tipo de célula de defesa do organismo, e que indica nos check-ups a tal normalidade, ou alguma anormalidade, que deve ser investigada com maior afinco.

Sobre o Linfócitos

Os linfócitos integram um time de defensores do corpo, que contam ainda com os eosinófilos, basófilos, neutrófilos e os leucócitos, que assim forma o esquadrão de defesa, que são nada menos nada mais que, os glóbulos brancos.

Os linfócitos, possuem três variações, sendo linfócitos B, linfócitos T e os linfócitos Natural Killer; produzidos pela medula óssea vermelha, através das células-tronco linfoides.

Valores de referência dos Linfócitos

Os valores dos linfócitos típicos, como são conhecidos, são obtidos através do exame de sangue, chamado leucograma, uma parte do hemograma completo, que na maioria das vezes, é recomendado pelos médicos.

Os valores que forem apresentados, não podem estar altos ou baixos, já que ambas as situações, algum tipo de problema a defesa do corpo está tendo. O índice ideal de normalidade, e que tudo está dentro dos conformes, tem que bater entre 1500 a 5000/mm³ de combatentes no sangue.

Linfócitos Altos

No caso dos linfócitos se apresentarem além do limite, é porque algo de maior gravidade está ocorrendo, e a defesa do corpo tenta se multiplicar para enfrentar o problema, mas ainda assim não consegue. Neste caso doenças como a hepatite viral, toxoplasmose, rubéola, infecção aguda por HIV, leucemia linfocítica crônica ou aguda, podem estar presentes, dificultando as ações do corpo.

Linfócitos Baixos

No caso dos linfócitos estarem baixos, a situação também é grave, e inspira cuidados rápidos, já que a defesa do corpo, por algum motivo está sendo bloqueada, e quase nenhuma ação é tomada; fazendo com que as doenças, como hodgkin, lúpus, anemia aplástica, insuficiência renal, Aids e um câncer em estado terminal; se alastrem de forma descontrolada pelo corpo, atacando os diversos órgãos, podendo levar o paciente a morte, rapidamente.