Atualizado em: 20 outubro 2011

QI Muda a Cada Fase da Vida

Atividades extras na adolescência demonstram que cérebro pode desenvolver e aumentar QI, bem como sedentarismo pode diminuir capacidade humana de pensar.
Estudos revelam que QI pode mudar durante a adolescência

Estudos revelam que QI pode mudar durante a adolescência

Até então, o que era acreditado e divulgado é que o QI de uma pessoa não sofria alteração. E estamos falando do número do QI, que mede a inteligência humana. No entanto, novas descobertas revelam que o valor pode ser alterado ainda na adolescência.

Pesquisa revela alteração estrutural do cérebro

O assunto QI, que significa o quociente de inteligência de cada ser humano, revela muito mais da capacidade e do comportamento social humano. Ele pode ajudar, por exemplo, a determinar alguns tipos de comportamentos que cada individuo tem ou pode desenvolver, já que novas pesquisas revelam que podem existir alterações dessas capacidades.

publicidade:

Foram feitas algumas pesquisas em relação ao QI das pessoas, onde foi descoberto que podem haver mudanças repentinas na vida das pessoas na parte da adolescência. De acordo com uma pesquisa britânica, o estudo revela que a alteração não é só na nota, que geralmente professores dão a alunos para que possa ser feita uma medição e  enquadramento do indivíduo, mas também, em relação a estrutura do cérebro.

O que revela o estudo

Atividades na adolescência estimulam crescimento do QI

Atividades na adolescência estimulam crescimento do QI

Em relação as notas usadas pelos professores e educadores na infância, essa descoberta de que esse valor de QI varia durante a adolescência, pode ter um impacto significativo na educação e na formação da estrutura do ser humano. Os pesquisadores fizeram testes em um total de 33 adolescentes, isso em dois momentos diferentes.

De acordo com informações, pesquisas iniciais foram feitas sobre o QI na adolescência ainda no ano de 2004, quando as pessoas tinham a idade entre 12 e 16 anos, sendo submetidas a testes de QI e de ressonância magnética, para análise da estrutura do cérebro. Os exames foram repetidos em 2008 com os mesmos participantes e os dados obtidos foram comparados. As diferenças constatadas em relação aos resultados do QI foram que as notas obtidas demonstraram 20 pontos para mais ou para menos.

A conclusão de tudo sobre os testes do QI na adolescência, demonstra que um adolescente que tem um corpo atlético aos 14 pode estar fora de forma aos 18 se parar de fazer exercícios. Por outro lado, um adolescente fora de forma pode melhorar se fizer exercícios.

Entenda mais sobre QI:

Novos estudos podem revelar se QI aumenta em outras fases da vida

Novos estudos podem revelar se QI aumenta em outras fases da vida

Embora seja uma sigla curiosa, o seu significado vai além do que imaginamos. Alguns conhecem a sigla, outros não, mas a sua compreensão é a mesma: ela mede a inteligência humana e cada indivíduo tem a sua. Ele pode ser mais alto, mais baixo, mas, com as novas descobertas, será possível, através de novos testes, trabalhar para uma ação positiva naqueles que apresentem algum QI considerado baixo.

Um QI pode ser considerado alto, ao atingir o valor de 140 e tem como principal objetivo medir a capacidade intelectual de uma pessoa. Capacidades com foco no estudo, atividades extras e, como demonstra a pesquisa, um maior desenvolvimento de atividades na adolescência podem contribuir para melhoras significativas em formar novas cabeças pensantes na sociedade. Dessa forma, novos estudos ainda vão revelar se o cérebro continua a aumentar o seu poder de QI nas demais fases da vida.

E você? O que acha? Continuamos evoluindo nossa inteligência com o passar dos anos? Comente.

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook