Atualizado em: 20 julho 2011

Esterilidade Masculina - Sintomas e Tratamentos

As causas mais frequentes de infertilidade masculina estão relacionadas à produção de espermatozoides e à problemas de caminho destes espermatozoides até o óvulo.

EsterilidadeAtualmente muito ouvimos falar a respeito de esterilidade do casal, porém, só se pode considerar um casal como sendo infértil somente nos casos em que o casal não consegue procriar após tentar mais de um ano. Nestes casos uma bateria de exames deve ser feita tanto no homem quanto na mulher com o intuito de detectar as possíveis causas e, a partir daí, definir quais os possíveis métodos de tratamento para que o casal consiga gerar filhos. Devemos levar em conta que não apenas a frequência com que o casal tem relações sexuais é importante, afinal, a fertilização acontece num curto prazo de no máximo 72 horas em relação à ovulação da mulher.

As causas mais frequentes de infertilidade masculina estão relacionadas à produção de espermatozoides e à problemas relacionados ao caminho destes espermatozoides até o óvulo, quando acontece a fecundação. Podemos relacionar aos problemas de produção de espermatozoides as doenças da hipófise, tireoide ou suprarrenal, os traumas e problemas congênitos dos testículos, os problemas causados em virtude do uso de medicamentos e a varicocele. Já nos problemas relacionados ao caminho dos Fertilidadeespermatozoides até o óvulo, podemos citar os distúrbios de ejaculação, os distúrbios do sistema imunológico, algumas alterações congênitas ou cistos das vesículas seminais, algumas obstruções e mal formação congênita.

publicidade:

Um homem pode acabar se tornando estéril por conta de doenças ou problemas adquiridos ao longo da vida, além do fato de que o próprio envelhecimento provoca alterações funcionais que acabam gerando a redução da produção de espermatozoides. A redução da fertilidade masculina geralmente ocorre a partir dos 70 anos de idade, ao passo de que a redução de fertilidade feminina acontece entre os 40 e 50 anos. O exame feito para identificar a qualidade do esperma do homem é chamado espermograma, onde a concentração mínima para ocorrer fecundação é de 20 milhões de espermatozoides por mililitro de esperma. Caso o valor seja inferior a 20 milhões, a fertilização fica comprometida, porém a fecundação ainda pode ser feita através de algumas técnicas de beneficiamento de esperma e de fertilização assistida.

Os problemas de infertilidade masculina acabam sendo resolvidos através de técnicas e tratamentos, tais como a fertilização assistida, o beneficiamento de sêmen, a inseminação artificial, a fertilização in vitro e a injeção intracitoplasmática de esperma. No beneficiamento de sêmen acontece uma seleção dos melhores espermatozoides que serão utilizados na fecundação. A inseminação artificial consiste na colocação do sêmen dentro do útero da mulher durante o período fértil. Finalmente fertilização in vitro, conhecida também como “bebê de proveta”, o sêmen é colocado em contato com o óvulo dentro de um tubo de vidro, e após a fecundação, o óvulo é recolocado no útero. Finalmente na técnica injeção intracitoplasmática o óvulo é colocado dentro do óvulo por meio de um microscópio.

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook