Atualizado em: 25 julho 2011

As Doenças de Boca

O que são as doenças da boca e quais são as principais doenças que podem afetar a boca de toda população. Conheça uma por uma, o que causam, como pega e como tratar.
O mundo é repleto de coisas boas, mas também é cheio de coisas ruins que afetam a população, como as doenças. Existem doenças de todos os tipos e de acordo com vários fatores. Existem as doenças genéticas, as doenças respiratórias de inverno, doenças mais graves e as doenças de boca. É preciso ter muito cuidado, prevenção e atenção com relação a essas doenças, pois principalmente a falta de cuidados e higiene que podem causar tais problemas, como no caso das doenças de boca.

O que são?

As doenças de boca são aquelas causadas por vírus ou bactéria e que possuem como lugar para suas manifestações a boca. A boca é um local que possui contato direto com alguns agentes infecciosos, seja através do beijo na boca, seja através das comidas ingeridas ou por ser um fumante ativo. Existem inúmeras doenças de bocas e algumas são mais conhecidas, que serão citadas aqui no decorrer do artigo.

A boca é uma cavidade úmida, escura, bastante vascularizada, sensível a alterações orgânicas internas e a variações de temperatura e repleta de microrganismos, o que a torna um órgão muito vulnerável a doenças.

Principais doenças bucais

  • Afta: é uma das doenças mais comuns que afeta a boca, atinge cerca de 20% da população mundial, sobretudo jovens. São lesões dolorosas, múltiplas ou solitárias, que costumam incomodar por cerca de 20 dias. As aftas podem ser precedidas por ardência, coceira ou formigamento. As causas das aftas variam de predisposição genética, trauma, alergia, hormônios, estresse a doenças autoimunes. O tratamento depende de cada caso. Não há cura, mas medicamentos específicos diminuem a sua frequência e gravidade.
  • Herpes: é uma doença infectocontagiosa, sexualmente transmissível, causada pelo vírus herpes simples (VHS), que fica latente no organismo. Pode ser contraída pelo beijo e se manifesta em situações de baixa imunidade, exposição solar e, no caso das mulheres, durante a menstruação. São pequenas bolhas, que surgem geralmente nos lábios e duram, em média, duas semanas.
  • Halitose: Termo usado para o conhecido mau hálito. Cerca de 90% delas estão relacionadas ao estado em que se encontra a boca. Diferentemente do que a maioria das pessoas acredita, pouquíssimos casos têm origem no estômago. Para prevenir este mal, é preciso manter uma higiene completa.
  • Gengivite: nada mais é do que a inflamação da gengiva, que é desencadeada pelo acúmulo da placa bacteriana, que se forma principalmente pela má higiene dos dentes. A região fica avermelhada, inchada e costuma sangrar. A simples remoção da placa bacteriana resolve o caso, mas se não for feita o quadro pode evoluir para periodontite.
  • Mononucleose: é causada pelo vírus Epstein-Barr (VEB), é mais conhecida como ‘doença do beijo’, pois esta seria a principal forma de transmissão. Depois de um período de incubação de 30 a 45 dias, o vírus tende a permanecer para sempre no organismo da pessoa. Pode ser assintomática ou apresentar sintomas que incluem fadiga, dor de garganta, tosse, inchaço dos gânglios, perda de apetite, inflamação do fígado e hipertrofia do baço.
  • Candidíase: Conhecida como ‘sapinho’, esta doença é causada por fungos e manifestada pela formação de manchas brancas e avermelhadas pela cavidade bucal ou feridas no canto da boca. A candidíase geralmente é desencadeada em situações em que há queda na resistência do organismo.
  • Câncer de boca: os tumores se desenvolvem na forma de carcinoma epidermóide, ou seja, aparecem como uma ferida que nunca cicatriza e cresce progressiva e rapidamente, infiltrando-se nos tecidos vizinhos. O tratamento é feito por meio de cirurgia para retirada do tumor, usando como tratamento a radioterapia e a quimioterapia. Como em outros tipos de lesões cancerígenas, quanto mais precoce for o diagnóstico, maiores serão as chances de sobrevida. O principal agente causador do câncer na cavidade bucal é o cigarro, mas o álcool tem efeito potencializador. Nos lábios, o tumor maligno também pode ser desencadeado pela exposição ao sol sem o uso de protetores contra os raios ultravioleta, especialmente em pessoas de pele e olhos claros.

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook