Atualizado em: 7 julho 2011

Criptococose Pulmonar - Sintomas e Tratamento

Existem diversas doenças pulmonares, mas nem todas são conhecidas e muito comuns, como a Criptococose Pulmonar. Saiba mais sobre essa doença pulmonar.

Existem diversas patologias que afetam a parte pulmonar, consequentemente prejudicando a nossa respiração. Algumas são mais severas, outras nem tanto, mas todas possuem tratamento e necessitam de cuidados especiais, afinal a respiração é um ato vital, sem ela não somos nada. Doenças pulmonares podem ser desenvolvidas na sua maioria por agentes infecciosos, sendo eles vírus, bactérias ou fungos. Uma doença não muito conhecida é a Criptococose Pulmonar, afeta a nossa respiração, dificultando-a. Saiba mais.

publicidade:

O que é?

A criptococose pulmonar é uma doença pulmonar causada pelo fungo Criptococcus neoformans. Ele causa a doença que apresenta características variáveis e que pode afetar tanto um indivíduo com sistema imunológico suprimido quanto o com sistema imunológico normal.

Existem alguns fatores que predispõe ao desenvolvimento da doença, como a AIDS, neoplasias hematológicas, transplante de órgão, tratamentos com corticoides, doença de Hodgkin, dentre outras condições que vão comprometendo a imunidade da célula e debilitando cada vez mais o portador.

Alterações

Além da dificuldade para respirar, tossedispneia e cansaço respiratório, é possível ver diversas anormalidades no raio-x quando a doença está presente. Estão presentes diversos nódulos, tanto simples como nódulos múltiplos que acabam evoluindo. Há também a presença de consolidação segmentar, broncopneumonia bilateral, derrame pleural e linfonodomegalias.

O diagnóstico é feito através do raio-x e da tomografia computadorizada do tórax do indivíduo. E todos os fatores citados acima influenciam na mortalidade pela doença, pois são itens extremamente agravantes do quadro.

Tratamento

Para tratar a doença, primeiramente faz-se o uso de antibióticos para controle da infecção causada. Após isso, o médico passa alguns broncodilatadores para uso, para que os brônquios possam se expandir e melhorar assim a ventilação nos pulmões. Além disso, a Fisioterapia também faz um importante papel na reabilitação respiratória desse indivíduo, através do uso de equipamentos de pressão positiva que facilitem na entrada e saída de ar, melhorando assim a saturação do portador, com manobras de higiene brônquica para a liberação da secreção causada pela doença e também com exercícios respiratórios que visam melhorar a reexpansão pulmonar.

 

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook