Atualizado em: 6 setembro 2011

Verbas vão para ONGS, sem fiscalização

Existem milhares de ONGs espalhadas pelo mundo, porém, nos últimos 12 anos nem toda a verba foi fiscalizada. O pior problema é citado referente ao atraso em verificar das prestações de contas que já foram enviadas.

Pode-se dizer que, muitas são as famílias que necessitam de cuidados para o tratamento ou situação em que vivem, na verdade, quanto mais ajuda melhor, algo que as pessoas sempre devem procurar através das ong´s que existem próximas de onde moram.

O Brasil é um país muito bem preparado para administrar a saúde das pessoas, se formos pesquisar,  com certeza, encontraremos vários lugares que atuam no tratamento de causas sociais, voltadas para as famílias de cada cidade e município do estado.

publicidade:

Sobre as ONGS

Mantidas por R$ 3,5 bilhões nos cofres federais apenas no ano passado, muitas das ONGS tem como o estímulo de envolver grandes irregularidades na parte de incapacidade de fiscalização através do Poder Público, ou seja, a grande maioria delas, não tem uma estrutura de verbas com as devidas fiscalizações, registros e documentos sobre todo o trabalho que é feito em cada uma delas.

Existem várias irregularidades através de órgãos como este, na verdade, nem sempre o que você espera de um lugar, é realmente o que parece ser, portanto, tome cuidado ao contratar algo. Em 2012, muitas das organizações não governamentais (ONGs), foram reprovadas através das irregularidades sobre as fiscalizações, algo que, resumidamente falando, podemos chamar de projetos desorganizados.

No ano passado, 45,7 mil convênios não tiveram a prestação de contas analisada, num total de R$ 21,1 bilhões cuja aplicação não teve qualquer acompanhamento. O valor equivale a 54,9% – mais da metade – dos R$ 38,4 bilhões em convênios fechados desde 1999 entre a União e entidades sem fins lucrativos, totalizando 12 anos de carência em questões de regularização.

Se não sabem, qualquer que seja o órgão, eles devem ser passados pelo Tribunal de Contas da União (TCU), com isso, a obrigatoriedade é nítida e legal, porém, nem sempre os órgão respeitam o que se deva fazer. De acordo com o levantamento, 2.780 entidades deixaram de entregar a documentação, mas isso é tudo, ainda há muito o que fazer, um dos problemas que mais se deva temer, está em relação da falta da verificação nas prestações de contas enviadas pelas ONGs.

Estas informações, devem ser muito válidas e aproveitáveis para os presidentes e responsáveis pelas Ongs do Brasil, algo que, por mais serio em que for feito o trabalho, completas serão as atividades e parcerias para ajudar os projetos a ocorrem de maneira crescente, e sem dever ao sistema. Saibam mais detalhes através da revista época http://revistaepoca.globo.com/.

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook