Atualizado em: 13 fevereiro 2012

Tudo sobre a greve dos PM's na Bahia

Policia Militar do estado da Bahia acaba com a greve. Depois de 12 dias parados os policiais retornaram ao trabalho, mas ainda não ficaram totalmente satisfeitos com os benefícios que o Estado ofereceu. Confira tudo aqui no Sempre Tops
Você Sabia?
A palavra greve em seu significado inicial tem a ver com um arbusto que existe nas margens do rio Sena, em Paris. Em terreno próximo a esse arbusto havia uma praça, onde posteriormente os trabalhadores sem emprego se reunião para arrumar uma atividade rentável. Em francês, grève.
Marco Prisco

Ex-PM, líder dos grevistas baianos, Marco Prisco foi preso hoje pela manhã (Foto: Divulgação)

Durou 12 dias a greve dos PMs na Bahia, muitas situações desagradáveis, tumulto e desorganização vem com força total para cima do estado. Hoje pela manhã os grevistas se reuniram em uma assembléia realizada no Ginásio do Sindicato dos Bancários e decidiram continuar com a greve, já que suas reivindicações ainda não foram atendidas como eles desejavam.

O que os PM’s exigem

Aumento salarial de 30%;

publicidade:

Pagamento das gratificações por Atividade Policial (GAP’s) atrasadas; a GAP 4 já para março e a GAP 5 para 2013;

A anistia para os líderes grevistas, já que 12 estão com mandado de prisão decretado.

O que o Estado ofereceu

Aumento salarial de 6,5%;

Pagamento da GAP 4 em novembro desse ano e da GAP 5 ficaria para 2015;

Negou anistia aos 12 líderes que estão com mandado de prisão.

Visto isso, é simples analisar que nada daquilo que os PM’s baianos pediram seria atendido, pois bem, os grevistas deixaram a Assembleia Legislativa da Bahia, mas não pararam a greve que caminha para um destino ainda desconhecido e preocupante.

O caos na Bahia

Desde que os PM’s da Bahia entraram em greve o estado não é mais o mesmo quando falamos da violência e do corre, corre que se instalou por lá, 136 homicídios foram registrados, o Exército age de forma violenta contra os grevistas, tiros de bala de borracha para tudo quanto é lado. Essa taxa aumentou 238% com relação ao mesmo período do ano passado.

O ex-policial Marco Prisco, líder da greve dos PM’s baianos foi preso hoje pela manhã logo depois de desocupar o prédio da Assembleia Legislativa e também Antônio Paulo Angelini, outro líder grevista. Essas prisões são fruto de uma escuta telefônica em que alguns grevistas planejam depredar locais, colocar fogo em carros, cometer atos de vandalismo contra o Estado, Prisco estava envolvido nessas ligações e recebeu voz de prisão.

Greve PM - BA

Prisão de Marco Prisco na manhã do dia 10 de fevereiro (Foto: Divulgação)

Mais dois grevistas foram presos, agora quatro deles foram detidos o que causa ainda mais tumulto entre os manifestantes e o exército que está no controle armado da situação.

Agora os PM’s aguardam alguma resposta positiva do Estado, enquanto isso a greve tende a permanecer e, pelo que consta os policiais estão irredutíveis e exigem ter suas reivindicações atendidas não é de hoje. A GAP 4, já era para ter sido paga em outras reivindicações em que o assunto veia à tona.

O fim da greve na Bahia

Fim da greve na Bahia

Manifestantes após a decisão de acabar com a greve dos PMs, foram 3 hora de assembleia (Foto: Divulgação)

Em nota, na noite de sábado (11) os grevistas anunciaram o fim da greve do PM’s na Bahia, mesmo não tendo suas reivindicações atendidas, porém ainda reiteraram que foi uma vitória a paralisação, pelo menos essa atitude mostra que os servidores estão indignados e incomodados com a condição de trabalho que tem.

Ainda neste mesmo documento que foi divulgado consta que os policias ficaram em reunião durante 3 horas no ginásio do Sindicato dos Bancários e decidiram peã volta ao trabalho porque não querem mais prejudicar a população, já que foram registradas até o fim da greve 180 mortes.

Mas o fim não que dizer que os PM’s aceitaram o reajuste de 6,5% retroativos aos meses de janeiro e fevereiro, mais as gratificações que serão incorporadas gradualmente até 2015. O trato que agradou a classe foi o de que os policiais que permaneceram parados durante esses dias não receberão nenhum tipo de punição, já os 12 que tiveram mandados expedidos terão de responder diante do tribunal.

O importante para os grevistas também foi o amadurecimento dos policiais, nenhum conflito com o exército, que esteve nas ruas para manter a segurança do estado.

Algo de bom os PM’s conseguiram, segundo a Secretaria de Comunicação da Bahia, o Estado incorporou duas gratificações aos salários, no inicio da paralisação, o acordado era de apenas uma.

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook