Atualizado em: 3 fevereiro 2012

Tragédia mata mais de 70 e pode acabar com futebol no Egito

De acordo com uma entrevista de um jogador brasileiro que atua no Egito, a violência dos torcedores pode acabar com o esporte no país.
Tragédia no Egito pode acabar com futebol

Depois de invadir o campo, os agressores correram em direção aos torcedores rivais.

Infelizmente, o dia 1º de fevereiro de 2012 vai entrar como um dos momentos mais violentos na história do futebol mundial. Durante uma partida realizada no Egito entre o Al-Masry e o Al-Ahly na última quarta (01), os torcedores do time da casa, que estava vencendo a partida por 3 a 1, invadiram o campo e começaram agredir os jogadores adversários, as pessoas que torciam para o rival e até os seguranças da partida. De acordo com as informações divulgadas em diversos veículos de comunicação, esta tragédia, que contabiliza, por enquanto, 74 mortos e mais de 248 feridos, pode acabar com o futebol no Egito.

Entenda o caso

Depois de ver que os torcedores da equipe mandante começaram a invadir o campo com pedras, facas e pedaços de pau, as pessoas que estavam na parte destinada a torcida visitante do estádio, que está localizado na cidade de Port Said, começaram a tentar fugir. Com os portões fechados, a confusão se tornou ainda maior e as brigas começavam acontecer por todos os lados. Além de agredir os torcedores rivais, as pessoas que invadiram o campo também tentaram machucar os jogadores e a comissão técnica do Al-Ahly, que acabaram fugindo e se escondendo no vestiário.

publicidade:

No meio da confusão, estava presente o atacante brasileiro Fábio Júnior, do Al-Ahly, que acabou dando uma entrevista para o canal Sportv. De acordo com o atleta, que já vestiu a camisa do Flamengo e Vasco, a violência do Egito pode acabar com o futebol no país. “Eu acho que o futebol do Egito vai acabar por causa dessa violência, pela falta de segurança nos estádios. As torcidas são fanáticas, mas não é como no Brasil, que tem violência, mas não tem tanta morte como tem aqui. O pessoal aqui agride até matar o outro”, contou Fábio Júnior, que também relatou que a polícia local foi omissa durante o tumulto.

Depois do ocorrido, a Federação Egípcia de Futebol anunciou que o campeonato nacional do país está suspenso por tempo indeterminado e a procuradoria geral do Egito ordenou uma investigação detalhada sobre a tragédia.

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook