Atualizado em: 27 janeiro 2012

Secretário de Recursos Humanos do Ministério do Planejamento morre por omissão de socorro

Dois hospitais são acusados de omitir socorro depois que o Secretário de Recursos Humanos do Ministério do Planejamento, Duvanier Ferreira sofreu um infarto e os procurou
Duvanir Ferreira

Omissão de socorro provoca morte de Duvanier Ferreira (Foto: Divulgação)

Na última quinta-feira (19), o Secretário de Recursos Humanos do Planejamento, Duvanier Paiva Ferreira teve atendimento negado em dois hospitais de referência na capital federal. Segundo informações o secretário havia sofrido um infarto do miocárdio na madrugada e foi levado aos hospitais para requerer atendimento.

Primeiro ele chegou ao hospital Santa Lúcia que supostamente omitiu socorro alegando que o convênio que Ferreira possui não atendia ali e para pagamento do atendimento lhe foi solicitado um cheque caução, que de acordo com a família ele não tinha naquela hora.

publicidade:

Imediatamente foi levado para um segundo hospital, o Santa Luzia que também está sendo investigado para constatar se houve o crime de omissão de socorro pelo mesmo motivo.

Quando o Secretário de Recursos Humanos do Ministério do Planejamento chegou ao Hospital Planalto, o terceiro naquela noite, seu estado já era grave e nada puderam fazer por ele, mesmo após terem tentado reanimá-lo, Ferreira faleceu.

Os dois hospitais que omitiram socorro a Ferreira, serão investigados pela polícia, para posteriormente, se comprovada a omissão de socorro, responderem nos rigores da lei.

Tanto a diretoria do Santa Lúcia, quanto a do Santo Luzia negaram as acusações. Em entrevista, os dois disseram que vão averiguar com os plantonistas da noite o que realmente ocorreu.

A polícia ainda vai analisar as imagens das câmeras de segurança dos hospitais e tirar as conclusões com a ajuda do IML (Instituto Médico-Legal).

O que disse Dilma Rousseff sobre o caso

A presidente Dilma tomou conhecimento de que poderia ter havido o crime de omissão de socorro após a morte do secretário e exigiu que as apurações sejam feitas com alto rigor.

Alexandre Padilha, o ministro da Saúde, acatou a ordem imediatamente e soicitou a ajuda da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar, para investigar o caso que teve como vítima, Duvanier Paiva Ferreira.

A ANS ainda vai apurar se houve caso de racismo, já que o Secretário de Recurso Humanos do Ministério do Planejamento era negro.

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook