Atualizado em: 2 setembro 2013

Quem pode ser responsabilizado pelo desabamento do prédio em São Paulo

Saiba que é importante saber que é de responsabilidade da prefeitura de São Paulo emparedar as obras irregulares da cidade.
Você Sabia?
Que as primeiras obras de Engenharia que se tem notícia na História da Humanidade datam de 8000 AC.
desabamento do prédio em São Paulo 1

Engenharia e a Prefeitura de São Paulo deverão ser responsabilizados pela tragédia.

Um prédio que estava sendo construído na avenida Mateo Bei, na zona leste de São Paulo, desabou na manhã do dia 27 de agosto, terça-feira, provocando a morte de oito pessoas e deixando outras 26 feridas.

Sendo que havia duas pessoas ainda  desaparecidas.Grande parte dos funcionários  mortos tinham vindo de cidades do estado do Maranhão.

publicidade:

Informações

Já a Defesa Civil liberou na noite do dia 28 de agosto, três residências próximas ao local do desabamento e que estavam interditadas, entretanto manteve um estabelecimento comercial e duas outras casas lacradas, por estarem com a estrutura comprometida.

As investigações mostraram que entre março e abril de 2013, a subprefeitura de São Mateus multou e embargou a obra que veio a desabar no último dia 27 de agosto Entretanto, a construção não foi interrompida e o terreno foi alugado para o Magazine Torra Torra, que pretendia abrir uma loja no local.

Já a  rede de lojas Torra Torra, declarou não ter nada a ver com a obra, mas o advogado do proprietário do terreno disse que a empresa de engenharia contratada pelo magazine Torra Torra, teria feito escavações que abalaram a estrutura do prédio.  .Mas apesar  do Magazine Torra Torra afirmar que a empresa de engenharia não alterou  o projeto inicial, a administração municipal afirmou que o prédio tinha um pavimento (andar) a mais do que o que estava na planta da obra

O promotor de Habitação e Urbanismo José Carlos de Freitas, responsável pelo inquérito do desabamento do prédio em São Mateus, disse no dia 29 de agosto, que era de responsabilidade da prefeitura de São Paulo lacrar a construção.

Também de acordo com o promotor, a prefeitura “abandonou no último ano a prática de emparedar obras irregulares”. Sendo que por isso, o proprietário do prédio, Mostafa Abdallah Mustafa, a construtora Salvatta Engenharia e a Prefeitura de São Paulo deverão ser responsabilizados pela tragédia.

Sendo que alguns dos sobreviventes do desabamento já foram ouvidos pelo delegado Luiz Carlos Uzelin, responsável pelo inquérito policial do caso.

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook