Atualizado em: 16 setembro 2011

PUC fecha campus contra festa sobre maconha

Organizadores de Festival de Cultura Canábica são proibidos de realizar Festival nesta sexta-feita (16/09). Reitoria ordena fechamentos dos portões e deixa aviso. Saiba mais detalhes sobre esse conflito de estudantes e universidade.

Falar de droga é sempre complicado, ainda mais a respeito da descriminalização da maconha. Muitos não sabem nem a que se refere o termo “descriminalização”. É importante saber os dois pontos de vista e sobretudo entender o que realmente acontece em volta de tantos manifestos.

PUC contra Festival

Depois da divulgação de um manifesto a favor da liberdade, o reitor da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC) decidiu intervir e suspender as aulas no campus de Perdizes. O manifesto foi intitulado 1º Festival da Cultura Canábica, evento que aconteceria nesta sexta-feira (16/09), as 16h20 na Rua Monte Alegre, em Perdizes, Zona Oeste de São Paulo.

publicidade:

Os estudantes sem saber da proibição da reitoria da universidade, só se deram conta ao dar de frente com os portões fechados e com um comunicado explicando as razões para o fechamento do campus. Mesmo que o manifesto trate da liberdade e tenha como título a maconha, os organizadores alertaram a todos os manifestantes que forem participar do festival que não portem drogas, visando que o evento não faz apologia a maconha ou ao consumo de qualquer psicotrópico.

Mesmo com os portões fechados, alguns serviços do campus estarão funcionando normalmente. Dentre todos os serviços, vários estudantes que estão sendo supervisionados pelos professores, atendem a população gratuitamente. O reitor proibiu de acordo com o ato nº 127/2011, proibiu especificamente a circulação de pessoas não autorizadas pelos edifícios Cardeal Motta e Bandeira de Mello. O reitor cita em sua decisão uma série de determinações que visam combater o consumo de álcool e drogas.

Na foto, a estudante lê o comunicado da reitoria da PUC sobre o fechamento dos portões do campus.

 

 

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook