Atualizado em: 7 fevereiro 2011

Funcionário da Google será libertado no Egito

Wael Ghonim

Mais de uma semana depois do seu desaparecimento misterioso no Egito, o executivo do Google e ativista político, Wael Ghonim será libertado pelo governo nesta segunda-feira, de acordo com sua família e um empresário proeminente.

publicidade:

Durante seu desaparecimento, Ghonim, com cerca de 30 anos, pai de dois filhos , surgiu como um símbolo central dos protestos anti-governo, escolhido como o rosto de um movimento e um herói para a causa da democracia. Organizadores do protesto em Tahrir Square, no centro do Cairo adotaram-no como um líder simbólico.

Alguns meios de comunicação locais sugeriram que a atividade política de Ghonim, que é chefe de marketing da Google para o Oriente Médio e Norte da África, faz dele um traidor de sua nação.

No domingo, autoridades egípcias quebraram o silêncio sobre o destino do funcionário da Google. De acordo com seu irmão, Hazem Ghonim, “Eles nos disseram que provavelmente vão trazê-lo para nós, e que ele provavelmente será escoltado em segurança”, disse ele no Cairo.

O bilionário empresário Naguib Sawiris também disse no domingo que o presidente do Egito lhe disse que Ghonim será liberado. “O rapaz é um herói”, disse Sawiris: “Quando ele for liberado, ele vai se tornar o herói vivo dessa revolução.”

Ghonim é contado entre um pequeno grupo de ativistas políticos no Egito, cujo papel social na media durante o ano passado ajudou a desencadear as manifestações maciças ameaçando regime governante do Egito. “Eu disse há um ano atrás que a Internet vai mudar o cenário político no Egito, e alguns amigos zombavam de mim”, Ghonim escreveu em seu perfil no Facebook para amigos pessoais, após dois dias de inchaço protestos no Cairo. No dia seguinte, 28 de janeiro, ele desapareceu.

Via Fox News

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook