Atualizado em: 5 setembro 2011

Pará poderá ser dividido em 3 após aprovação de plebiscito

Ocorreu nesse final de semana a aprovação de um plebiscito que promove a divisão do estado do Pará, tendo a criação do estado de Carajás e de Tapajós. Saiba mais detalhes sobre essa possível divisão.

Nesse final de semana, a decisão tomada pela Câmara dos Deputados através da aprovação de um plebiscito causou grande repercussão em todo país. O plebiscito se tratava da aprovação da divisão do estado do Pará com a criação dos Estados de Carajás e de Tapajós, no sul e sudeste paraense.

Viável ou Inviável?

Segundo informações, essa divisão ocorrerá com base no setor econômico do estado, pois com a divisão, o impacto econômico do estado do Carajás herdariam as maiores reservas minerais e os principais empreendimentos da Vale instalados na região. Mas para alguns especialistas, a divisão não indica grandes melhorias, pois pode não haver o que houve no caso da divisão de Tocantins e Goiás, por exemplo, e muitos economistas acham que a criação de Carajás e Tapajós é algo inviável.

publicidade:

“O problema é que, em nome da autonomia, deixa-se de pensar em duas questões atuais da gestão pública brasileira. A primeira é que o momento exige maior eficiência nos gastos públicos, fazendo mais com menos. Cabe lembrar que o desmembramento vai gerar duas novas estruturas governamentais, replicando os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário em cada um dos novos Estados. Os paraenses precisam saber deste custo para decidirem – afinal, supõe-se que serão eles que vão pagar a conta”, diz o especialista Luiz Abrucio.

Plebiscito

A Câmara dos Deputados do estado do Pará aprovou a realização do plebiscito que irá decidir se haverá ou não a criação dos novos estados, de Carajás e Tapajós, podendo ocorrer em 6 meses. Se caso a população votar pela criação dos novos estados através do plebiscito, o estado do Pará não deixará de existir, mas o seu território será dividido em três.

Responsáveis pelas regiões envolvidas alternam suas opiniões e não sabem ainda se a divisão será favorável ou não para a região Norte do país.

No caso de Carajás, o Decreto deve ser promulgado pelo presidente do Congresso, José Sarney (PMDB-AP), autorizando a consulta. No caso de Tapajós, a câmara já aprovou o plebiscito, faltando somente a votação do Senado.

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook