Atualizado em: 20 março 2012

Nação Zumbi comemora 20 anos

O primeiro álbum ao vivo, foi um estouro, e assim como o último disco de estúdio, Fome de Tudo (2007), foram lançados pela Deck. Para 2013, a banda planeja o oitavo disco, o sexto sem a presença de Chico Science (morto em 1997 em um acidente de carro).
Você Sabia?
Francisco de Assis França, mais conhecido pela alcunha de Chico Science (Olinda, 13 de março de 1966 - Recife, 2 de fevereiro de 1997) foi um cantor e compositor olindense, um dos principais colaboradores do movimento manguebeat em meados da década de 1990!
Nação Zumbi comemora 20 anos (2)

Foto Divulgação: (Banda atual da Nação Zumbi).

Durante muito tempo, além de ser uma das bandas mais citadas do maracatu, o Nação Zumbi sem dúvidas ganhou o mundo pelo sucesso do barulho ensurdecedor dos batuques impedia qualquer um de ouvir mais que batidas frenéticas: Tum! Tum! Tum!

A História da Nação

Há 21 anos atrás, no ano de 1991, surgia a modalidade do Maracatu em Recife, em 2012, a banda que, já não tem mais a presença do líder e vocalista Chico Science, até hoje ela faz muito sucesso, seja por onde quer que os músicos passem, o nome serve de grande influência para muitos.

publicidade:

Sozinho, num canto, um roqueiro de 20 anos debruçava-se sobre um pequeno amplificador de 15 watts de potência para tentar entender as notas que sua guitarra produzia, isso o que estamos falando, é quando o nome começou a ter influência pela música. Naquela época, este músico, somente ele conseguia distinguir os riffs produzidos naquela tarde no Recife, isso em 91, enquanto o resto era açoitado pela percussão do maracatu.

“Foi ali, bicho, que consegui entender que o maracatu tinha o mesmo formato rítmico de outros gêneros musicais. Pude experimentar sequências de notas roqueiras, e elas funcionaram!”, lembra Lucio Maia.

Na época, além das pessoas não conhecerem muito este estilo musical, eles foram buscando mais informações, ou seja, foram em busca de referências em questões de instrumentos e por ai vai, ou seja, na época, aquele saudoso dia, 21 anos atrás, seria o primeiro ensaio do que viria a ser a Nação Zumbi.

Quando a banda Nação Zumbi começou, nem todos acreditavam que a banda faria tanto sucesso assim, neste caso, Chico Science, mostrou-se forte para seguir em frente com o pessoal, na verdade, ele como seria imortalizado, não era do rock, mas estava mais próximo do samba-reggae – o gênero tinha explodido no fim dos anos 80, liderado por Daniela Mercury.

Depois do encontro aos estilos diferenciados, o guitarrista percebeu que precisaria diminuir o número de percussionistas para que todos os outros instrumentos se tornassem mais audíveis naquela mistura, enfim, não foi algo difícil, pois não demorou muito até que ele decidira topar aquela que parecia uma mudança de rumo da banda, mas cedeu.


Nação Zumbi comemora 20 anos (1)

Foto Divulgação: (Saudades Chico Science/ Nação Zumbi).

O Mangue e o Maracatu

Considerada como a pior cidade do mundo a época, Recife não tinha tanta influência assim, isso mesmo, para nenhum dos lados, ou seja, por tratar-se de um pouco desenvolvido, as pessoas teriam que buscar as melhor, ou seja, foi o que a Nação fez. As comemorações, ainda que tardias, dos 20 anos de estrada (completados em 2011) têm como destaque o lançamento do CD e DVD Ao Vivo no Recife, com a apresentação histórica no Marco Zero, ponto turístico da cidade, em 2009, para 80 mil pessoas.

Assim como dizem nas letras, é tudo misturado, maracatu com samba, reggae e batuque dos tambores e assim vai, este é o poderoso Maracatu Atômico, que, desde que começou a ser divulgado no Brasil, a banda se expandiu e ganhou a mídia de uma forma até mesmo internacional pelo jeito diferenciado e ao mesmo tempo, talentoso de se cativar os fãs.

A, ou O Nação Zumbi, é considerado por muitos como um mito, ou seja, foi algo que liderou a última grande revolução da música brasileira. Uniu o maracatu ao rock pesado, com pitadas de rap, reggae e improvisos que animam e fazem com que as pessoas reflitam sobre as formas e acontecimentos da vida, é sem dúvidas uma ótima opção de música.

E quando todos estavam acostumados a procurar por novidades no eixo formado por Estados do Sudeste e Sul, Pernambuco despejou uma musicalidade despretensiosa, mas barulhenta e incisiva. Um mar de caranguejos desceu o País, ou seja, o mangue foi uma palavra que dominou as letras do Nação.


Saudades Chico Science

Lucio Maia ressalta que se lembra de quando eles tocaram no primeiro festival Abril Pro Rock, em 1993, na época eles tocaram para 15 pessoas, mas um pessoal da MTV estava lá e ficou boquiaberto com o som que foi feito pelo Nação. O grupo nasceu em um movimento espontâneo e independente, mas logo no primeiro disco, Da Lama…, já contava com o suporte de uma gravadora.

O primeiro álbum ao vivo, foi um estouro, e assim como o último disco de estúdio, Fome de Tudo (2007), foram lançados pela Deck. Para 2013, a banda planeja o oitavo disco, o sexto sem a presença de Chico Science (morto em 1997 em um acidente de carro).

De acordo com Maia, o fato foi o que uniu ainda mais a banda, e logo após, muitos convites foram feitos, projetos individuais, mas a banda sempre está junta, e o maracatu se mantém atômico. Saiba mais, sobre os 20 anos do Nação Zumbi acessando (www.estadao.com.br).

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook