Atualizado em: 27 outubro 2010

Morte do Senador Romeu Tuma

O Senador de São Paulo do PTB, Romeu Tuma, morreu nesse dia 26 de outubro de 2010 por volta das 13h. Tuma já estava internado havia 56 dias no Hospital Sírio Libanês em São Paulo devido a implantação de um coração artificial, pois ele estava sofrendo de uma insuficiência cardíaca muito séria, mas piorou nos últimos três dias.

publicidade:

Nessas eleições ele concorreu pela terceira vez ao Senado pelo PTB mas desde o início da campanha a vitória era tida como improvável por conta da fragilidade de sua saúde. Foram eleitos os candidatos Aloysio Nunes (PSDB) e Marta Suplicy (PT). Tuma ficou em quinto lugar e obteve 3,9 milhões de votos (10,79%).

Ele foi eleito duas vezes senador de São Paulo, a primeira foi em 1994 com mais de 5,5 milhões de votos, a segunda foi em 2002 com 7,27 milhões de votos, no qual permaneceu no senado até 2011.

Formado em Direito pela PUC-SP, foi investigador, delegado e diretor de polícia especializada na Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo. Em 1983, assumiu a Superintendência da Polícia Federal paulista e em seguida se tornou diretor-geral da PF, onde ficou até 1992, e ainda acumulou os cargos de Secretário da Receita Federal e Secretário da Polícia Federal

Entre os seus trabalhos policiais de maior repercussão, está a descoberta da ossada de um dos mais procurados criminosos de guerra nazistas, Joseph Mengele, e a captura do mafioso italiano Thommaso Buscheta.

Tuma era conhecido por ter sido um dos policiais mais atuantes durante os anos de regime militar (1964-85). Foi apelidado de “xerife” e ainda havia suspeitas de que ele tinha alguma ligação com a ditadura.

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook