Atualizado em: 13 abril 2011

Guerra na Líbia em 2011

Saiba tudo sobre o conflito na Líbia e por que tudo isso começou. Veja todas as informações sobre a Guerra na Líbia 2011.
Conflito na Líbia

Veja tudo sobre a Guerra na Líbia 2011. A Líbia está sofrendo uma onde de protestos populares com reivindicações sociais e políticas, iniciada em 13 de fevereiro deste ano. Tudo começou com o pedido dos manifestantes da saída de Muamar Kadafi, destruindo prédios, bloqueando ruas e criando incendios. Esses protestos foram mais precisamente começados no dia 16 e foi até o dia 20 de fevereiro.

Por que a saída de Muamar Kadafi?

Os manifestantes exigiam mais liberdade e democracia, mais respeito pelos direitos humanos, uma melhor distribuição da riqueza e a redução da corrupção no seio do Estado e das suas instituições. O chefe de Estado líbio, Muammar Kadafi, também conhecido como Gaddafi ou Kadaki é o chefe de Estado árabe no cargo há mais tempo: lidera a Líbia há 42 anos.

A partir do dia 21 de fevereiro rebeldes tem ajuda das forças militares desertoras, e começam a tomar a cidade no oeste e no Leste do país, com isso Kadaki emprega mercenários e mantém controle da Trípoli.

Muamar Kadafi

O líder da Líbia então reage, retomando as cidades que estavam sob controle dos rebeldes, empurrando front de batalhas até Ajdabiyra. Mas no dia 19 de março, houve a intervenção internacional, no qual, a ONU outorizou a criação de uma zona de exclusão aérea na Líbia, para evitar que Kadafi continue a atacar civis que se opões a ele. A medida da ONU também autoriza todas as medidas necessárias a proteção destes civis. Por isso, uma coalizão formada pelo Reino Unido, EUA, França e outros oitos países inicia bombardeio em áreas controladas por Kadafi.

Inclusive, quando o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, autorizou o ataque, ele estava no Brasil, e autorizou mesmo assim do nosso país.

Reação Internacional

A Wikiédia nos tráz uma lista das manifestações de vários países em relação a Líbia:

  1. Cuba: É contra qualquer intervenção estrangeira na Líbia e também reiterou um pedido de calma para as autoridades da Líbia.
  2. Venezuela: É contra a interferência estrangeira na Líbia, e o presidente Hugo Chávez disse que ninguém pode condenar as ações de Khadafi, pois quem ataca o Afeganistão e o Iraque não tem moral para condenar ninguém.
  3. Em 01 de março defende que alguns países formem uma comissão de mediação como meio de buscar uma saída pacífica ao conflito interno que vive a Líbia.
  4. Nicarágua: Daniel Ortega, presidente da Nicarágua, declarou apoio a Khadafi se caso houvesse uma guerra civil.
  5. Argentina: Se mostra preocupado diantes de graves violações de direitos humanos na Líbia e apoiou a convocar uma sessão especial do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas em Genebra.
  6. Peru: No dia 23 de fevereiro de 2011, cortou relações diplomáticas com a Líbia.
  7. Estados Unidos: O presidente Barack Obama condena a violência, mas não faz qualquer referência a renúncia de Khadafi. No dia 25 de fevereiro, o governo dos EUA anunciou que colocaria sanções unilaterais contra a Líbia e que cordenará sanções internacionais.Entre as medidas em estudo para tornar o regime de Kadhafi “responsável” inclui a imposição de um embargo de armas eo congelamento de fundos da Líbia para o uso da violência por parte do regime de Muammar Kadhafi.
  8. Brasil: É contra a violência aos manifestantes. Procura-se unir com outros países lusófonos, como Portugal, para tomar decisões. Publicou em nota oficial o pedido de cessar-fogo imediato na Líbia.
  9. Rússia: Exige da Líbia o fim da repressão e o respeito aos direitos humanos
  10. Zimbabwe: Apoia Kadhafi e enviou tropas para ajudá-lo. Caso seja necessário, Khadafi pode fugir para esse país.
  11. Colômbia: Condena a violência de forças policiais contra os manifestantes.
  12. Canadá: Diz que cumprirá determinações da ONU contra a Líbia e que isso dificultará o acesso às armas para que podem ser usadas contra a população.
  13. Irã: O presidente disse que o povo árabe “cavará a cova” dos soldados ocidentais, se houvesse uma intervenção dos mesmos.

Conflito LíbiaConflito Hoje

Hoje, dia 23 de março, o conflito ainda continua. A Força Aérea de Kadaki fora destruída, portanto, ela não existe mais como força de combate.

O secretário americano da Defesa, Robert Gates, disse que não há “calendário” para o fim das operações da coalizão internacional na Líbia.

Onde fica a Líbia?

Líbia é um país do norte de África, limitado a norte pelo Mar Mediterrâneo, a leste pelo Egito e pelo Sudão, a sul pelo Chade e pelo Níger e a oeste pela Argélia e pela Tunísia. Sua capital é Trípoli.


Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook