Atualizado em: 18 outubro 2011


Greve dos bancários pode chegar ao fim hoje

Já com mais ou menos 45 dias de grave, bancários realizarão assembleias para determinar se aceitam ou não a proposta feita pela Fenabran. Se aceita, a greve poderá chegar ao fim hoje (17/10) e as agências bancárias voltarão a atender na terça-feira (18/10).
Diante de uma das maiores greves dos bancários dos últimos tempos, deve ser decidido hoje todos os reajustes exigidos pelos bancários e a greve poderá chegar ao fim ainda no final do dia.

Greve dos bancários pode chegar ao fim

Pode chegar ao fim hoje (17/10) a greve dos bancários que já entrou como a maior greve bancária dos últimos anos. (Foto: Divulgação)

De acordo com informações, os bancários devem realizar assembleias para decidir sobre o final da greve ainda no dia de hoje (17/10). Nas assembleias serão votados a possível ou não aceitação da proposta feita na ultima sexta-feira (14/10) entre a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) e os representantes do Comando Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT).

De acordo com o presidente Carlos Cordeiro, os bancários foram orientados a aceitar a proposta feita no dia 14 de outubro.  De acordo com informações, a Fenaban propôs para o fim da greve 9% de reajuste sobre salários, retroativos a 1.º de setembro e 12% de reajuste no piso, que passará de R$ 1.250 para R$ 1.400. Se o acordo for aceito pela maioria dos 140 sindicatos, a greve provavelmente chegará ao fim hoje e os bancos reabrirão na terça-feira (18/10). Na cidade de Curitiba, os bancários aceitaram a proposta do domingo e já voltaram ao trabalho normalmente nesta segunda-feira (17/10).

Entenda a greve

A greve dos bancários teve início dia 27 de setembro, quando os bancários exigiam  reajuste de 12,8%, aumento do vale-alimentação e da Participação dos Lucros e Resultados, cumprimento da jornada de seis horas, ampliação do sistema de segurança nas agências, fim da rotatividade e auxílio-educação para cursos de graduação e pós-graduação.

A proposta feita pela Fenabran foi de 8%, com 0,56% de aumento real. Nesta segunda-feira (17/10), foram propostos para o fim da greve 9% de reajuste sobre salários, retroativos a 1.º de setembro e 12% de reajuste no piso, que passará de R$ 1.250 para R$ 1.400.

Assim como a greve dos bancários, os correios também se encontram em greve por um período maior ainda, chegando a pelo menos 45 dias, o que dificulta ainda mais a vida da população de pelo menos 24 estados, que participam da greve.


Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook