Atualizado em: 22 setembro 2011

Greve de Médicos de plano de Saúde em Todo o Brasil

Os médicos dos planos de saúde, estão organizando a greve, para que seja solucionado o aumento no valor das consultas pago pelos planos e a fixação de um reajuste anual.De acordo com a categoria, as operadoras pagam, em média, R$ 40 por atendimento, isso, enquanto encontrado pelas entidades médicas é R$ 15, e o maior, R$ 80, tendo eles, o salário que jamais ultrapassa a média alta de 50% no aumento.
Greve de Médicos de plano de Saúde

Foto: (A categoria deve ficar 24 horas lutando pelo reajuste no salário)

Como todos sabem, se tratando da Greve de Médicos e planos de Saúde, temos que se preocupar, pois o mundo depende disso.

De acordo com informações divulgadas nesta quita-feira(22), profissionais na área de saúde, médicos, estão desde ontem, cogitando e se organizando em greves para a contestação dos reajustes nos valores pagos pelas operadoras.

Sobre a greve

Segundo as informações, um total de dos mais de 46 milhões de usuários, a categoria estima que os planos serão afetados pela paralisação que enfim, irá somar mais de 25 milhões a 35 milhões de clientes, para quem não sabe, esta é a segunda vez  em 2011 em que a categoria faz um boicote às operadoras.

Em abril, a paralisação atingiu todo o país, mas desta vez, os médicos suspendem, por 24h, as consultas por convênios que não reajustaram os valores pagos por elas ou não negociaram. Toda a greve deve ter os seus conceitos, na verdade, não podemos criticar, sendo para qualquer questão e setor, somente as pessoas que realmente conhecem o que fazem para dar andamento para um assunto tão importante como este, a medicina.

[share]

O reajuste contestado pela greve dos médicos

Como muitos outros profissionais, os médicos são os que mais se devem ter auxílio em relação a tudo, ou seja, não importa somente ser bem atendido, eles fazem porque amam a profissão, mas enfim, todos sabem que, o salário deles, nem sempre está de acordo como o que realmente se deve estar.

Para esta greve, a categoria contesta o aumento no valor das consultas pago pelos planos e a fixação de um reajuste anual. De acordo com os médicos, as operadoras pagam, em média, R$ 40 por atendimento. O valor mais baixo encontrado pelas entidades médicas é R$ 15, e o maior, R$ 80. A categoria defende mínimo de R$ 60. O médicos relatam que, nos últimos anos, os planos de saúde em geral, foram reajustados em cerca de 150%, enquanto a remuneração médica não chegou a subir 50%.

Os estados que fazem parte desta greve

Greve de Médicos de plano de Saúde.

Foto: (Representantes da medicina em protesto, junto à greve dos planos de saúde: Divulgação)

No total, serão 23 Estados e no Distrito Federal a mobilizar esta greve. Em nove dos que estão credenciados, vão suspender as consultas de todas as operadoras.

Os estados seguintes, são os que fazem parte da greve: Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro e Tocantins. Em excessão ao estado do Amazonas, o Rio Grande do Norte e Roraima, estes serão os únicos estados em que os médicos não pararam.

Seguindo as informações sobre a greve, foi dito pelos órgãos responsáveis que, apenas os atendimentos de urgência e emergência vão ser mantidos e atendidos durante a mobilização. As entidades médicas, e os pacientes foram avisados com antecedência da paralisação e devem reagendar as consultas. À todos, vamos aguardar o resultado, assim que soubermos mais detalhes, estaremos divulgando também. Caso queiram saber mais, acessem o site uol.

Os planos de Saúde que estarão inclusos na Greve

Acre: Unimed, Assefaz, Casf, Caixa Econômica, Cassi, Capesep, Correios, Eletronorte, Embrapa, Fassincra, Geap, Sesi/DR/AC, Plan – Assiste e Conab
Alagoas: Smile, Hapvida, Amil e Unimed
Amapá: SulAmérica, Amil e Grupo Unidas (Plan – Assiste, Geap, Fassincra, Eletronorte, Embrapa, Assefaz, Cassi, Capesaúde, Caixa Econômica, Correios, Embratel)
Bahia: Amil, Medial, Hapvida, Norclínicas/Intermédica, Life Empresarial, Geap, Cassi, Petrobras, Golden Cross e Promédica
Distrito Federal: Amil, Bradesco, Golden Cross e SulAmérica
Ceará: Todas as operadoras
Espírito Santo: Todas as operadoras
Goiás: Imas, Geap, Golden Cross, Itaú, Mediservice e SulAmérica
Maranhão: Todas as operadoras
Mato Grosso: Todas as operadoras
Mato Grosso do Sul: Todas as operadoras
Minas Gerais: Todas as operadoras
Pará: Hapvida, Grupo Lider, Cassi, Ipamb, Iasep, Geap e hospitais militares (Polícia Militar, Naval e Exército)
Paraíba: Geap, Amil, Smile, Hapvida e Norclínica
Paraná: Todas as operadoras
Pernambuco: Samaritano Viva, Ideal Saúde, Golden Cross, Real Saúde, América Saúde, Hapvida/Santa Clara
Piauí: Capesaúde, Cassi, Correios Saúde, Geap, Saúde Caixa e Uniplam
Rio de Janeiro: Todas as operadoras
Rio Grande do Sul: Afivesc, Assefaz, Bacen, Bradesco, Cabergs, Caixa, Canoasprev/Fassem, Capesesp, Casembra, Casf, Cassi, Centro Clínico Gaúcho, Conab, Doctor Clin, ECT, Eletrosul/Elos, Embratel, Fassincra, Geap, Golden Cross, Infraero, IRB, Petrobras, Petrobras Distribuidora, Plan Assist, Proasa, Pró-Salute, Sameisa, Serpro, Sesef, SulAmérica, Unafisco, Usiminas e Walmart.
Rondônia: Unimed, Ameron, SulAmérica e Bradesco
Santa Catarina: Operadoras que atuam no Estado, exceto Assefaz, Saúde Caixa, Capesesp, Cassi, Celos, Correios Saúde, Conab, Eletrosul, Embratel, Elos Saúde, Fassincra, Cooperativas Médicas e Funservir
São Paulo: Ameplan, Golden Cross, Green Line, Intermédica, Notre Dame, Prosaúde, Blue Life, Dix Amico, Medial, Geap e Volkswagen
Sergipe: Operadoras que atuam no Estado, exceto Assec/Cehop, Assefaz, Cagipe, Camed, Capesep, Casec, Casembrapa, Casse, Cassi, Cassind, ECT, Embratel, Fachesf, Fassincra, Pasa, Petrobras, Petrobras Distribuidora, Plan Assiste, Proasa, Saúde Caixa e Sesef
Tocantins: Todas as operadoras


Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook