Atualizado em: 10 março 2010

Greve de Professores em SP

Em uma assembléia, que segundo a Polícia Militar reuniu apenas 2 mil professores no centro de São Paulo, na última sexta-feira, 05/03, ficou decidido que os professores do estado de São Paulo entrarão em greve por tempo indeterminado.

publicidade:

A Apeoesp pede uma aumento salarial de 34,3% nos salários dos professores. Ela [Apeoesp] afirma que a proposta feita pela governo de incorporar as gratificações gera um aumento de 0,27%% nos salários dos professores até a 4° série.

Por outro lado, o Governo afirma que o reajuste “custaria nada menos do que R$ 3,5 bilhões, o que desorganizaria as finanças da educação e até mesmo do conjunto do governo do Estado”, e que não há dinheiro para o aumento.

A Secretaria de Educação afirma que apenas 1% dos professores entraram em greve, e que ela tem um caráter político.

Vale lembrar que 2010 é um ano eleitoral e que a disputa presidencial será polarizada entre o candidato José Serra do PSDB, governador de São Paulo, e a candidata Dilma Rousseff do PT.

A Apeoesp é filiada à CUT, que por sua vez, possui um “bom trânsito” no governo atual do PT.

No final das contas, quem mais sofre são os alunos da rede estadual de ensino que há décadas sofre com falta de infraestrutura e com um ensino desatualizado e de péssima qualidade do professores.

O que vocês acham, é justificável fazer greve mesmo que o maior prejudicado sejam os alunos?

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook