Atualizado em: 5 agosto 2010

Dinâmicas de Motivação, Amizade e Autoetima

Tem quem ache as dinâmicas verdadeiras bobagens, mas, muitos psicólogos têm se valido deste recurso, principalmente nas grandes empresas, onde a competição é acirrada, para fazer frutificar a motivação, amizade e autoestima.

As dinâmicas

Há muitas maneiras de se fazer dinâmicas, porém, o objetivo de todas estas formas é apenas um: formar pessoas mais felizes e aptas para levar este contentamento para o ambiente de trabalho, transmitindo esta alegria para a sua produtividade e colegas de trabalho.

Assim, além de funcionários mais eficientes, a empresa ganha pessoas que não se veem  como concorrentes, mas como parceiras na construção de uma organização com um ambiente mais saudável para todos.

Exemplo

Veja como se é possível fazer uma dinâmica para fortalecer a motivação, amizade e autoestima dentro de uma empresa.

O material necessário para esta dinâmica são balões coloridos. Esta dinâmica pode ser aplicada sempre que houver a constatação que algum integrante da equipe está se isolando dos demais ou quando um novo colaborador é integrado na equipe de trabalho (por conta de novas contratações), a qualquer tempo.

Primeiro, convide os participantes para, de pé, se disporem em um círculo e distribua um balão para cada um;

Segundo, comente sobre a importância da integração entre as pessoas de uma mesma equipe e como isso influencia na auto-estima individual. Fale sobre como determinados comportamentos podem contribuir, positivamente, com a auto-estima de um colaborador recém contratado e integrado ao quadro funcional da empresa.

Depois peça para todos encherem seus balões, “descarregando” dentro deles, todos os sentimentos negativos que impedem um bom relacionamento: impaciência, rudez, frieza, etc… e que, após cheios e fechados, todos os balões devem ser colocados no chão da sala utilizada para esta dinâmica.

Instrua ao novo colaborador ou colaboradores (no máximo, dois) que se posicionem no centro do círculo.

Para os demais, peça que se unam firmemente, de braços e mãos dadas, formando uma “corrente” firme, envolvendo o colaborador que está ao centro, e que não possa ser “rompida”.

Agora, peça para o novo colaborador (que está ao centro desse círculo) para forçar esta “corrente”, tentando “rompê-la” e, dessa forma, tentando sair de dentro do círculo. Preste atenção ao tipo do esforço e, se necessário, modere o exercício para que nenhum integrante da dinâmica se machuque.

Certamente o ambiente será de muita energia física e risos. Incentive o grupo que falem entre si, dando instruções para que todos resistam às tentativas de “saída” do colaborador que está ao centro do círculo.

Faça perguntas ao colaborador que estava no centro: como ele avalia o seu grau de esforço, qual a sua sensação ao tentar sair do grupo e o que pensou quando definitivamente desistiu de tentar.

Para encerrar, peça que todos dêem, ao mesmo tempo, um abraço coletivo neste novo integrante, estourando os balões com os pés.


Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook