Atualizado em: 5 julho 2010

Caso Eliza Samudio

Ainda é um mistério o desaparecimento da jovem de 25 anos Eliza Samudio!

O goleiro Bruno, do Flamengo, é suspeito de envolvimento no desaparecimento da jovem, que foi sua amante.

publicidade:

Em meio a um processo de reconhecimento de paternidade do filho dela, o atleta é suspeito, junto com dois amigos, de tê-la espancado, queimado suas roupas e ocultado o corpo.

Três semanas depois do desaparecimento da estudante Eliza Silva Samudio, de 25 anos, os próximos dias devem ser decisivos para o principal suspeito do crime, o goleiro Bruno, capitão do Flamengo.

O Instituto de Criminalística de Minas Gerais deverá divulgar o resultado do exame de DNA que vai comprovar se o sangue encontrado no porta-malas do carro do jogador, uma Range Rover verde, é da jovem, ex-amante e com quem o goleiro teria um filho de quatro meses.

Antes disso, a dor de cabeça de Bruno pode começar no Rio. Está previsto para sair hoje o resultado da contraprova da urina de Eliza, coletada há oito meses, e que apontou a presença de substâncias abortivas que, segundo ela, fora obrigada pelo jogador a beber, durante a gravidez.

Peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli calculam 80% de chances de a ex-amante do goleiro ter ingerido tais substâncias.

Se for confirmada a presença do abortivo na urina da jovem, Bruno poderá ser denunciado pelo Ministério Público por tentativa de homicídio, já que o caso foi denunciado pela própria Eliza, em outubro de 2009, na Delegacia Especial de Atendimento à Mulher.

Ela alegou ainda ter sido sequestrada, ameaçada com arma na cabeça e espancada.

Este seria um problema a mais de Bruno, suspeito número 1 da Delegacia de Contagem, que investiga a possível morte com ocultação de cadáver da jovem.

No mesmo jipe do jogador, a polícia encontrou dois objetos reconhecidos como de Eliza por amiga dela: um par de óculos de sol e um par de sandálias preto.

O advogado criminal da família da moça, Jader Marques, chegou a Belo Horizonte (MG), vindo de Porto Alegre (RS), para acompanhar as investigações.

Se o DNA feito no sangue encontrado no carro do jogador com material coletado do pai da jovem indicar que é de Eliza, a Polícia terá de montar mais um quebra-cabeça. Isto porque o carro foi apreendido dia 8 de junho por falta de pagamento de IPVA.

Como Eliza teria morrido entre dia 9 e 10, os investigadores terão de entender como o veículo teria sido usado para transportá-la sangrando.

Se o resultado for negativo, a DH vai procurar Eco Sport dourada usada por Bruno após a apreensão do jipe.

Reconhecimento de paternidade

Enquanto as polícias de Minas e do Rio buscam provas que possam incriminar Bruno, seja pelo desaparecimento de Eliza ou pela tentativa de obrigá-la a abortar, em outubro, ele enfrenta processo de reconhecimento de paternidade na 1ª Vara de Família da Barra da Tijuca.

Em 29 de março, a Justiça determinou que Bruno fizesse o exame de DNA para confirmar ou não a paternidade de Bruninho, filho de Eliza.

Mas o Departamento Médico Judiciário ainda não marcou a data do exame. Para tentar acelerar o processo, Eliza teria decidido segundo amigas da jovem, tentar um acordo com Bruno.

Apesar de a advogada de Eliza, Anne Faraco, não confirmar valores por questão de sigilo processual, informações passadas pelas amigas indicam que a jovem teria aceitado pensão mensal de R$ 3,5 mil oferecida por Bruno.

Ele tem salário de R$ 200 mil e tinha propostas do Benfica, de Portugal, e do Milan, da Itália.

Segundo amigas de Eliza, ela teria aceitado outra proposta de Bruno: a de ir para o Rio, onde ficou hospedada num flat na Barra da Tijuca. Logo depois, a estudante teria concordado com ele em ir para Minas. Ninguém conseguiu mais contato com a jovem.

Infelizmente teremos que aguardar que a polícia consiga finalizar o processo!

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook