Atualizado em: 6 outubro 2011

Câncer no pâncreas de Steve Jobs era raro

O câncer que atingiu o fundador da Apple Steve Jobs é um tipo raro que se forma em células que produzem hormônios, que acabam sendo alterados pelo tumor e jogados na corrente sanguínea. No caso de Jobs, atingiu o fígado, causando metástase.
Câncer no pâncreas de Steve Jobs

Câncer no pâncreas de Steve Jobs é de um tipo raro que tem um desenvolvimento mais lento e que altera as células de hormônios. (Foto: Divulgação)

A luta de Steve Jobs contra um câncer no pâncreas chegou ao fim na última quarta-feira (05/10). Desde 2004 o empresário e fundador da marca Apple luta contra esse câncer que com o tempo foi deixando-o fisicamente debilitado. Steve trabalhava para alavancar sua marca no mundo da tecnologia, que escapou de ir a falência nos anos 90, se transformando na maior empresa de tecnologia do planeta.

Já bastante debilitado, Jobs deixou o comando da empresa Apple há 42 dias, quando foi obrigado a lidar com a morte.  Steve nunca foi de revelar sua vida pessoal e o mesmo tentava fazer com a vida profissional, mas certos fatos são inevitáveis.

publicidade:

Câncer raro no pâncreas

De acordo com os médicos que acompanharam o caso do empresário Steve Jobs, o tipo de câncer no pâncreas que ele tinha evoluía lentamente, o que dificultava bastante no diagnóstico precoce. É um tipo de câncer normalmente assintomático, ou seja, que não manifesta nenhum tipo de sintoma. Como uma manifestação do câncer está a perda de peso, que é o principal sinal para identificação da doença.

[share]Com Steve Jobs não foi diferente. Conforme o câncer ia progredindo, Steve se tornava mais frágil e mais magro. Dentre os tipos de cânceres que afeta o pâncreas, o tipo menos agressivo foi o que atingiu Steve Jobs. Esse tipo de câncer se forma em células especializadas na produção de hormônios. Esses hormônios são alterados pelo tumor e acaba indo para a corrente sanguínea, chegando ao fígado e provocando a metástase.  É um tipo de câncer mais comum após os 50 anos.

O tipo de câncer de Steve Jobs tinha um desenvolvimento lento, o que aumentava a sobrevida dele. Para esse tipo de câncer, a média de vida é de 5 anos, mas Steve viveu mais do que isso, prolongando sua vida por mais 2 anos, já que o diagnóstico foi dado em 2003. Esse câncer chega a matar 95% dos pacientes que descobrem, isso tudo devido a falta de sintomas,  o que faz com que a doença seja descoberta tardiamente.

Steve Jobs

Steve Jobs morre ao 56 anos

Steve Jobs, fundador da empresa Apple morreu aos 56 anos de um tipo raro de câncer no pâncreas. (Foto: Divulgação)

Steve morreu ao 56 anos de idade e deixou lembranças e projetos incríveis, que recebiam constante elogios pelo sucesso que faziam. Mesmo sem ser formado em uma Universidade, Steve se mostrava com uma inteligência incrível e inigualável. Steve foi o fundador da marca Apple e acabou se tornando um ícone na área de tecnologia e sinônimo de sucesso.

Após descobrir que estava com câncer, Steve lutou e passou por uma cirurgia para remover partes de seu sistema digestivo e, desde então, presumia-se que ele tinha se livrado do problema. Sem muito o que fazer, Steve foi vivendo do jeito que podia, até chegar ao seu limite, quando abandonou a empresa. Na quarta-feira (05/10), o site da empresa Apple anunciou a morte do fundador. O Google também se sensibilizou e prestou homenagem ao empresário, que irá ficar pra sempre na memória de todos.

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook