Atualizado em: 25 junho 2011

Brasil vulnerável a ataques cibernéticos

Sites da Presidência, Senado, Ministério do Esporte e Cultura, Petrobras, Infraero e do IBGE atacados. Hackers prometem guerra contra governo brasileiro.

Brasil vulnerável a ataques ciberbéticosOs ataques cibernéticos contra vários sites oficiais do Brasil feitos esta semana expõem a vulnerabilidade de nossos sistemas de segurança e a necessidade de reforçá-los, dizem os analistas, enquanto segue a investigação da Polícia Federal para encontrar os responsáveis.

Desde de quarta-feira, grupos de hackers atacaram os sites da Presidência, Senado, Ministério do Esporte e Cultura, Petrobras, Infraero e do IBGE.

publicidade:

Entre os grupos que promovem essas ações está o LulzSec Brazil, uma subsidiária da Lulz Security International, que no mês passado assumiu a responsabilidade por outros ataques contra os portais da CIA, Senado dos EUA, Sony e a agência anti-crimes cibernéticos britânica (SOCA).

Outros grupos, como o Anonymous e Fail Shell reivindicaram ataques esta semana. De acordo com especialistas do Serviço de Processamento de Dados (SERPRO), os primeiros ataques aparentemente não tinham a intenção de invadir as redes de governo, mas enviaram bilhões de pedidos de acesso simultâneos ao serviço, fazendo com que ficasse saturado e parasse de responder.

O governo brasileiro disse que os dados oficiais dos alvos dos ataques estão seguros, e que seus sistemas bloquearam todas as ações dos atacantes, embora tenhamos visto várias informações, supostamente retiradas destes sites circulando na Web. Segundo analistas de segurança, várias destas informações já estavam disponíveis publicamente, porém havia também números de PIS, uma informação muito difícil de conseguir de forma pública. O IBGE também foi inegavelmente exposto, mas não sabemos a profundidade do ataque.

Há de se levar em consideração que a imprensa, nestes casos, muitas vezes faz o papel de “Maria-vai-com-as-outras”. Os grandes órgãos de imprensa replicam informações fragmentadas captadas aqui e ali, muitas delas habilmente manipuladas. E o público compra a ideia majoritariamente divulgada como verdade. A ABIN sabe disso, os hackers também, e ambos se aproveitam da necessidade de “furos” da imprensa. Mas da verdade, o público sabe pouco, muito pouco.

O último ataque foi ao portal do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na manhã de sexta-feira. A home page do instituto foi alterada para o título “IBGE Hackeado”, acompanhada por uma imagem de um olho com as cores da bandeira brasileira.

O Fail Shell Group, responsável pelo hacking do IBGE disse que “o governo vai viver o maior número de ataques de natureza virtual” como forma de protesto “de um grupo nacionalista que quer fazer do Brasil um país melhor.

E com essas ações, vemos o Brasil figurar na lista dos alvos frequentes de ataques ciberbéticos. Vamos acompanhar o desenrolar dos fatos.

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook