Atualizado em: 24 outubro 2011

Animais mortos viram moda e causam polêmica

As peças da marca de Julia deVille, a DisceMori, mostram ousadia e vão desde broches com camundongos até um tapete de gato. A taxidermista se diz apaixonada pela arte de usar animais mortos como matéria-prima, o que causa também muita polêmica entre os defensores dos animais.
Moda com animais mortos

A moda que utiliza animais mortos ao mesmo tempo que se mostra uma arte, causa muita polêmica entre os defensores dos animais. (Foto: Divulgação)

Tudo é válido no mundo da moda, inclusive lançamentos excetricos e extremamente polêmicos. Não é muito raro ver casacos de pele de animais, entre outros materiais vindos de animais que são usados como moda. Mas definitivamente, os próprios animais empalhados em jóias, acessórios, enfeites e roupas, já não é tão comum e causa bastante espanto.

Definitivamente, ratos, besouros e passarinhos não são as melhores matérias-primas para se enfeitar acessórios como bolsa, broches e servir como objetos de decoração. O que parece estranho para muita gente é paixão para a taxidermista Julia deVille. “Eu adoro animais e acho que eles são muito preciosos. Os humanos geralmente não os tratam com o respeito que merecem. Eu os adorno com metais e pedras preciosas para destacar o valor da vida de todos os seres vivos”.

publicidade:

Veja mais sobre moda

O que é taxidermia

A taxidermia é a arte de montar ou reproduzir animais para exibição ou estudo. Sempre causa muito polêmica por ser diferente e é julgada como uma arte de mal gosto. Atualmente, existem ainda mais combates ao uso de animais como matéria-prima. Com isso, o mundo da moda vive tentando introduzir tal arte no mundo, embora receba muitas críticas.

Acessórios Ousados

As peças da marca de Julia deVille, a DisceMori, mostram ousadia e vão desde broches com camundongos até um tapete de gato. Todas as peças contam com o design da designer inglesa Kate Gilliand. Kate, que é fascinada com a taxidermia, confecciona jóias com ratos, besouros e outros.

[share]Kate Gilliand diz que não mata os animais, normalmente ela os recebe mortos, recebe inclusive de amigos e conhecidos, muitas vezes até pelo correio. Assim como Kate, outras pessoas aderiram à arte, como a estilista  Amanda Sutton, que usa um método bastante tradicional para criar pulseiras, broches e esculturas com ratos, coelhos e gatos. “Retiro a pele do animal cuidadosamente com um bisturi e trato-a com uma substância chamada bórax, que limpa, seca e previne bactérias. A pele é então colocada sobre um molde de lã que eu preparo antes no mesmo tamanho e forma do animal. Lá, eu costuro a pele, adiciono olhos de vidro, dou os toques finais e deixo secar”, explica a estilista.

Direito dos Animais

O grupo de defesa dos direitos dos animais, critica essa prática e não vê isso como uma arte, mesmo que todos os bichos tenham morrido de causas naturais. “Esses acessórios são criados para chocar e mostram um tremendo desrespeito aos animais que morreram ou foram mortos para eles. Nós não podemos imaginar ninguém impressionado por uma pessoa que chega a um encontro usando um sapo morto ou um rato desmembrado como um broche de lapela.  Esses estilistas deveriam usar a imaginação, a criatividade e a bondade para criar acessórios que honram a beleza de animais vivos, sem machucá-los”, afirma a organização através de um comunicado.

Assim como existem algumas pessoas capazes de criticar a arte da taxidermia, outros acham um absurdo o que é feito, independente do animal estar morto ou ter morrido de causas naturais. Muitos estilistas dizem que recebem emails falando que eles não possuem coração e nem amor ao ser vivo, mas muitos dizem o contrário. “Sim, é um animal morto, mas também pode ser belo”, diz Kate Gilliand.

Veja a arte de alguns estilistas e designers:

porco com cristais de Julia deVille

Porquinho com cristais, da taxidermista neozelandesa Julia deVille. (Foto: Divulgação)

Garra com lente de aumento por Kate Gilliand

Garra com lente de aumento; a peça foi criada por Kate Gilliand, da marca The Weird and The Wonderful (O Estranho e o Maravilhoso). (Foto: Divulgação)

Enfeite de gato de Julia deVille

Enfeite da taxidermista neozelandesa Julia deVille. (Foto: Divulgação)

Asas de passarinho de Julia deVille

Broche com asas de passarinho, da taxidermista neozelandesa Julia deVille. (Foto: Divulgação)

cervo para enfeite de Julia deVille

Cervo para enfeite, da taxidermista neozelandesa Julia deVille. (Foto: Divulgação)

pulseira com asas de besouro de Kate

Pulseira feita com asas de besouro, da estilista Rachel Boston. (Foto: Divulgação)

tapete de gato de Julia deVille

Tapete de gato, da taxidermista neozelandesa Julia deVille. (Foto: Divulgação)

cervo com cristais

Cervo com cristais, criado pela taxidermista neozelandesa Julia deVille. (Foto: Divulgação)

broche de passarinho de Julia deVille

Broche de passarinho, da taxidermista neozelandesa Julia de Ville. (Foto: Divulgação)

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook