Atualizado em: 14 janeiro 2013

INPE – Queimadas no Brasil

Conheça como você pode monitorar e acompanhar as estatísticas e queimadas ao redor do Brasil, e até denunciar e auxiliar para evitar esses males. Saiba mais aqui!
Você Sabia?
Uma triste contagem é que o numero de quimadas no Brasil cresceu em 53%, mostrando ainda mais a falta de fiscalização.
Queimadas no Brasil

Monitoramento de queimadas por satelite, pode auxiliar muito com informações e relatórios de áreas atingidas. (Divulgação)

Quem se interessa em denunciar, defender, ajudar a evitar queimadas no Brasil que por sinal pé crime previsto no nosso código penal, tem um portal monitorado para auxiliar.

O mesmo fora desenvolvido pelo INPE- Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais e inclui o monitoramento operacional de focos de queimadas e também de incêndios (pequenos ou não) florestais por satélite, além de ajudar a calcular o risco de fogo da vegetação, tempo estimado. Os dados que são enviados para a America do Sul e a América Central, além da Europa e Ásia são constantemente atualizados (cerca de a cada três horas) e trabalha em todos os dias do ano.

publicidade:
Acesse aqui e fique sabendo tudo em tempo realwww.inpe.br

Acesso a Informação

O acesso a informação enviada é livre para qualquer pessoa, sem falar que o acesso a internet deve estar com a sua configuração desbloqueada na carga das janelas “pop up”, só assim você conseguirá ter sucesso visualizando gráficos e tabelas que são desenvolvidas pelo mesmo. Isso faz com que você consiga ter uma dimensão dos estragos que as queimadas fazem todos os anos, principalmente na época de seca, onde a vegetação fica muito mais propicia a incendiar e qualquer fagulha pode levar horas para ser apagada.

Animais, casas, famílias são postas em perigo todos os anos. Para que você fique por dentro de tudo o que acontece e faça o seu cadastro acesso o portal e você conseguirá ter um mapeamento ainda mais eficaz para auxiliar nesse tipo de problema.

Queimadas no Brasil 02

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook