Atualizado em: 30 março 2011

Amazônia sofre após a seca de 2010

Um novo estudo patrocinado pela NASA revelou uma redução geral nas florestas verdes da vasta bacia amazônica na América do Sul, causada pela seca recorde de 2010.

seca-amazonas-espaco

“Os níveis de vegetação verde da Amazônia – uma medida da sua saúde – caíram dramaticamente em uma área de mais de três vezes e meia o tamanho do Texas e não retornaram aos níveis normais, mesmo após o fim da seca no final Outubro de 2010″, disse Liang Xu, autor principal do estudo da Universidade de Boston.

publicidade:

A sensibilidade à seca na selva Amazônica é assunto de intenso estudo. Os cientistas estão preocupados porque os modelos de computador preveem que, em uma mudança de clima, com temperaturas mais quentes e padrões de precipitação alterados, a tensão da umidade resultante pode fazer com que parte da florestas seja substituída por pastos ou savanas lenhosas. Isto faria com que o carbono armazenado na madeira em decomposição fosse liberado na atmosfera, o que poderia acelerar o aquecimento global.

 

SECAS PODEM SE TORNAR FREQUENTES

O Painel Intergovernamental das Nações Unidas sobre as Alterações Climáticas, alertou que secas similares poderiam se tornar mais frequentes na região da Amazônia no futuro.

O estudo completo foi elaborado por uma equipe internacional de cientistas que tem estudado há mais de uma década os dados dos satélites MODIS e TRMM da NASA.

A análise desses dados permitiu elaborar um mapeamento detalhado que mostra a redução da vegetação verde pela seca de 2010. O estudo foi aceito para publicação na Geophysical Research Letters, uma conceituada revista científica da American Geophysical Union.

 

MAPAS DETALHADOS

Os autores desenvolveram pela primeira vez, mapas das áreas afetadas pela seca mediante chuva abaixo da média. Os mapas mostram que a seca de 2010 reduziu o verde em torno de 1,5 milhões de quilômetros quadrados de vegetação na Amazônia, mais de quatro vezes a área afetada pela recente seca severa de 2005.

“Os dados do espectrômetro do satélite MODIS sobre a vegetação verde sugerem um impacto mais amplo, grave e duradouro na vegetação da Amazônia que pode ser deduzido baseado exclusivamente em dados de chuva”, disse Arindam Samanta, co-autor e pesquisador da Atmospheric and Enviromental Research.

 

DADOS MUITO GRAVES

A gravidade da seca de 2010 também foi observada nos registos dos níveis de água dos rios da bacia amazônica. Os níveis de água começaram a cair em agosto de 2010, atingindo níveis sem precedentes no final de outubro. Os níveis da água começaram a aumentar somente com a chegada das chuvas após o inverno.

“O ano passado foi o ano mais seco, com base em 109 anos de dados do Rio Preto, perto do porto de Manaus. Em comparação, o nível mais baixo durante a seca de 2005, foi somente o oitavo mais baixo”, disse Marcos Costa, co-autor da Universidade Federal de Viçosa.

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook