Atualizado em: 7 maio 2010

Ubuntu 10.04

Ubuntu 10.04

publicidade:

Para quem estava aguardando novidades do Linux, pode comemorar por que

está disponível para download a versão 10.04 beta 1 do sistema operacional Ubuntu. Conhecida pelo codinome Lucid Lynx, a versão final 10.04 foi lançado em 29 de abril, como mostra a linha de tempo do site wiki do desenvolvedor. A nova versão do sistema operacional Linux altera visual, oferece boot mais rápido e vem com módulo de suporte a redes sociais. O visual foi modificado, no qual a cor do tema principal agora possui um tom de roxo e até o logotipo ganhou uma fonte nova. Outras mudanças significativas estão no tempo reduzido de inicialização e o Menu, que fornece uma interface unificada para gerenciar mensagens instantâneas e serviços de redes sociais. Uma caixa de texto incorporada ao menu permite aos usuários publicarem mensagens de status para todas as suas contas. Ele também proporciona fácil acesso à conta padrão e ferramentas de configuração.

O driver chamado Nouveau será padrão para placas de vídeo NVIDIA com melhor suporte para detectar a resolução nativa do monitor e também processamento mais rápido para manipular gráficos em 2d. a página de download o desenvolvedor informa que a memória mínima para rodar essa versão beta é de apenas 256 MB. Existe ainda uma versão 10.04 beta 1, no site do Ubuntu, para desktops e servidores. Como é uma versão ainda em desenvolvimento, é interessante não instalar em computadores que são utilizados em rotinas de trabalho diário. Como parte da cobertura do lançamento do novo Ubuntu 10.04 o site Phoronix mediu o consumo de energia de dois notebooks idênticos equipados com o sistema operacional, comparando-o com o Windows 7 rodando nas mesmas máquinas. E os resultados surpreendem, com o Ubuntu se mostrando notoriamente mais “mesquinho”, em consumo de bateria, que o sistema da Microsoft. Em todos os testes, a medição de consumo foi feita com o sistema “parado”, no desktop padrão, sem nenhum outro aplicativo em execução.

O site atribui a diferença à forma como o gerenciamento de energia é implementado nos drivers de vídeo no Linux, o que faria a GPU consumir muito mais do que o realmente necessário em dado momento.

Como é um sistema novo, ainda teremos ajustes para serem feitos. Mas para quem utiliza o Linux com certeza terá razões para comemorar esta novidade.

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook