Atualizado em: 27 janeiro 2012

Twitter passa a filtrar conteúdo por país

Conteúdo ilegal em alguns países passará a ser filtrado naquela região específica, enquanto que poderá ser visualizado no restante do mundo.
publicidade:
Twitter cria filtro de conteúdo usando geolocalização

Twitter cria filtro de conteúdo usando geolocalização

O Twitter acaba de anunciar que vai começar a aplicar uma espécie de censura baseada em localização geográfica.  A rede social explica que alguns tipos de conteúdos são ilegais apenas em alguns países e, até agora, tinham de intervir a nível global. No entanto, agora podem se adaptar às leis de cada país.

O microblog raramente está envolvido em questões de censura, já que geralmente dá liberdade suficiente para os usuários. No entanto, houve casos, como o desaparecimento do WikiLeaks dos trending topics.

publicidade:

A empresa tentou justificar este movimento como uma forma de defender a troca de informações. Para isso, fez referência a um artigo em seu blog no qual explicou que “a troca aberta de informações pode ter um impacto global positivo”, mas também lembrou que a liberdade de expressão “traz consigo responsabilidades e tem limites “.

Tweets pró-nazistas são exemplos de conteúdo filtrado por país

Como exemplo, o Twitter citou o conteúdo pró-nazista, que é ilegal em países como França ou Alemanha. Assim, tais mensagens não seriam divulgadas nesses países, mas no resto do mundo, enquanto que até agora nem seriam publicadas na rede social.

publicidade:

A empresa está empenhada em ser transparente ao excluir mensagens e criou uma página onde são exibidos os tweets censurados e qual foi a razão. A origem dos usuários é determinada pelo seu endereço IP.

Além disso, aqueles cujo conteúdo tenha sido bloqueado, recebem um aviso em seu e-mail e podem decidir retirar ou manter o tweet.

Quando isso acontece, os usuários do país onde o tweet foi apagado verão uma mensagem informando que o conteúdo foi filtrado com um link para obter mais informações.

Você também vai gostar disso!

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook