Atualizado em: 3 fevereiro 2012

Microsoft acusa Google de favorecer anunciantes

Em uma atitude agressiva, a Microsoft fez estas acusações em anúncios de página inteira que foram publicados em grandes veículos da imprensa.
Entrada da sede da Microsoft, em Redmond, EUA

Entrada da sede da Microsoft, em Redmond, EUA

A Microsoft acusa a sua rival, Google, de ter articulado mudanças para favorecer os anunciantes ao fundir os dados que coleta sobre as atividades dos usuários em serviços como YouTube e Gmail.

A Google anunciou a mudança na semana passada como uma simplificação de políticas de privacidade, e como um meio de oferecer uma melhor experiência aos clientes.

publicidade:

Por sua vez, a empresa fundada por Bill Gates ofereceu sua própria alternativa, alegando que os usuários de seu e-mail gratuito, Hotmail, não precisam se preocupar que o conteúdo de seus e-mails seja usado para dar pistas de suas preferências para os anunciantes.

Atitude agressiva

Em uma atitude agressiva, a Microsoft fez estas acusações em anúncios de página inteira que foram publicados em grandes veículos da imprensa, incluindo os jornais norte-americanos, USA Today, The Wall Street Journal e New York Times.

“Cada dado que a Google coleta e vincula a você, aumenta o valor que tem para um anunciante”, disse a Microsoft.

Google classifica acusações como “mitos”

Em resposta, a Google publicou em um blog algo que chamou de refutação de “mitos” sobre a sua política de privacidade. “Nossos controles de privacidade não mudaram. Ponto”, afirmou a Google.

A empresa não nega que serve anúncios com base em palavras chave colhidas em e-mails privados dos usuários do Gmail, mas acrescenta que é um processo automático, semelhante ao que separa e-mails legítimos daqueles considerados indesejados. Tem funcionado bem desde a introdução do Gmail em 2004, complementa.

Ambas as empresas oferecem diversos controles para evitar que anunciantes on-line possam acompanhar a atividade do usuário.

Especialista do Search Engine Land dá sua opinião

Danny Sullivan, editor do respeitado site Search Engine Land, disse que a simplificação da política de privacidade da Google tornou-se um “pesadelo” de relações públicas, mas apenas porque voltou a atenção para o tipo de dados que a empresa tem recolhido ao longo dos anos.

Ele acrescentou que a Microsoft não é capaz de atirar a primeira pedra, já que também recolhe grandes quantidades de dados em seu buscador Bing.

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook