Atualizado em: 7 fevereiro 2012

Lei Seca no Twitter - a farra vai acabar!

ara a Advocacia-Geral da União, "a conduta do Twitter e outras pessoas envolvidas ataca diretamente a vidas e a segurança" das pessoas.

Lei seca no Twitter - acabou a moleza

O Governo brasileiro abriu uma ação civil contra o Twitter e usuários de redes sociais que alertam motoristas sobre locais onde há fiscalização policial, com a intenção de impedir a postagem destas mensagens.

publicidade:

A ação pede que o microblog suspenda imediatamente as contas que publiquem tweets com a localização de radares e o bloqueio definitivo de toda conta que preste informação sobre data, horário e local de blitz, operações da Lei Seca e outras atividades policiais.

A pena por dirigir sob a influência de álcool, apelidada de “Lei Seca”, apertou o cerco sobre os motoristas infratores nos últimos dois anos e, para evitar as fiscalizações feitas de surpresa pela polícia, muitos motoristas usam as redes sociais para alertar outros sobre a localização do aparato policial do Estado.

Avisos no Twitter colaboram com os infratores

Para a Advocacia-Geral da União, “a conduta do Twitter e outras pessoas envolvidas ataca diretamente a vidas e a segurança” das pessoas.

A ação gerou manifestações efusivas na Internet, com alguns apoiando a iniciativa, enquanto outros argumentavam que este tipo de serviço tornou-se um alívio para o motorista, alertando para os problemas de trânsito e onde ocorrem acidentes ou engarrafamentos, conforme noticiava hoje de manhã a rádio CBN.

O Governo interpela judicialmente o Twitter alguns dias depois que a rede social anunciou que pode bloquear tweets específicos de cada país, se legalmente obrigados a fazê-lo.

Cerca de 55 mil pessoas morrem a cada ano no Brasil em acidentes de trânsito, e, de acordo com informações fornecidas pela Advocacia-Geral da União, os controles são usados ​​para detectar todos os tipos de ilegalidades, incluindo armas e contrabando de drogas, roubo de carros e sequestros, de forma que é um contrassenso egoísta estimular tal prática, pelo menos de acordo com a opinião deste editor.

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook