Atualizado em: 27 junho 2011

Hackers roubam 2,7 milhões do Citigroup

Crackers encontraram uma maneira de se introduzir no sistema de processamento de cartões de crédito dos clientes que acessavam a página Web do Citigroup.

Hackers roubam 2,7 milhões do CitigroupDepois da escalada de ataques hackers que resultaram em servidores ficando fora do ar, além do vazamento de informações confidenciais, desta vez algo mais sério tirou o sono do departamento de segurança do Citigroup. Piratas de computador, conhecidos no meio cibernético como crackers, roubaram 2,7 milhões de dólares da maior empresa de serviços financeiros do mundo.

A comunidade cracker encontrou uma maneira de se introduzir no sistema de processamento de cartões de crédito dos clientes que acessavam a página Web do grupo, tendo usado estas informações para realizar inúmeras compras ilegais.

publicidade:

O banco, que sabia da brecha de segurança desde o início de maio, reconheceu o acesso a 360 mil contas nos Estados Unidos. Embora os crackers tenham conseguido entrar no sistema de processamento de crédito principal, não foram capazes de acessar números de cartão de crédito, nomes e informações de contato.

Tal como ocorreu com a Sony, o Citigroup não informou nada aos seus clientes na época da invasão, esperando até 3 de Junho para fazê-lo. Até agora não sabíamos o número exato de contas afetadas pelo roubo (3400) e a quantidade de recursos desviados. Outras informações confidenciais, como números de seguridade social, datas de nascimento, códigos de verificação ou o cartão não foram comprometidos.

Quanto vai custar a brincadeira para o banco? Especialistas avaliaram que as compras e débitos realizados pelos crackers, além da emissão de 360 mil novos cartões, chegará a cifra de 77 milhões de dólares, ou seja, uma média de 214 dólares por conta afetada.

Fonte: ComputerWorld

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook