Atualizado em: 28 janeiro 2012

Estados Unidos monitora redes sociais

Alguns dos sites que estão sob a supervisão do órgão, associado com o governo dos EUA, são as redes sociais Facebook, Twitter, e o site de denúncias WikiLeaks
Brack Obama, presidente dos Estados Unidos

Brack Obama, presidente dos Estados Unidos

Um documento emitido pelo Departamento de Segurança Nacional dos Estados Unidos revela que a agência monitora rotineiramente fóruns online disponível publicamente, blogs, sites públicos e murais de mensagem. Isso inclui a atividade de sites como Twitter, Facebook, WikiLeaks e outros.

As informações contidas no documento mostram que o Departamento de Segurança Nacional dos Estados Unidos, desde junho de 2010, monitora regularmente as redes sociais e outros sites onde os usuários expressam suas opiniões e se manifestam habitualmente.

publicidade:

Facebook e Twitter na mira do governo dos EUA

Alguns dos sites que estão sob a supervisão do órgão, associado com o governo dos EUA, são as redes sociais Facebook, Twitter, e  o site de denúncias WikiLeaks, a plataforma de TV online Hulu e o jornal online norte-americano The Huffington Post.

O documento justifica a vigilância a que estes sites são submetidos, afirmando que a intenção é coletar informações que possam ser usadas para conhecer quais são os ânimos da população e estabelecer uma imagem geral do país e do mundo. O monitoramento ocorre em sites acessíveis ao público. As informações coletadas pela agência governamental são armazenadas por até cinco anos.

Esta fiscalização a que as redes sociais são submetidas pelo governo dos EUA não é uma surpresa. Não é a primeira vez o interesse das autoridades recai sobre as atividades on-line dos cidadãos.

EUA tem planos reais para manipular as redes sociais

No ano passado, Anonymous descobriu um plano militar dos EUA para influenciar redes sociais com perfis falsos, enquanto que a polícia de Nova York criou uma unidade especial para controlar o que é dito nestas plataformas.

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook