Atualizado em: 10 fevereiro 2011

Siria volta a permitir Facebook e YouTube

bashar-al-assad

Usuários de Internet na Síria, disseram que a partir da última terça-feira, foram capazes de ter acesso ao Facebook e YouTube pela primeira vez em três anos em meio a sinais de que Damasco pode estar levantando a proibição de redes sociais populares.

publicidade:

O governo sírio não esclarece suas suas restrições sobre a Internet, mas um número de usuários da web na Síria, disse ontem que as portas foram abertas pela primeira vez em anos, sem o uso de servidores proxy. Usuários falaram sob condição de anonimato para proteger sua segurança.

O chefe do Centro Sírio para a Liberdade de Expressão e Comunicação Social, Mazen Darwish, disse que tem “a confirmação semi-oficial” que a proibição será retirada. Darwish não quis dar mais detalhes sobre sua fonte.

O passo pode ser considerado uma concessão para evitar agitação popular depois dos tumultos no Egito e na Tunísia, mas isso não é uma grande concessão do governo do presidente Bashar Assad, porque muitos sírios já estavam conectados com esses websites usando servidores proxy.

A Síria não viveu as revoltas populares que abalaram outros países árabes. Uma campanha na Internet pedindo um “dia de fúria” contra Assad na semana passada falhou quando os manifestantes não tomaram as ruas em Damasco.

No entanto, após tumultos na Tunísia e no Egito, Assad disse em uma entrevista ao The Wall Street Journal que ele iria tentar implementar reformas políticas.

Assad, um médico oftalmologista de 45 anos, chegou ao poder em 2000, após três décadas de regime autoritário. Desde então, ele tem tomado algumas medidas para eliminar estilo soviético restrições econômicas, permitindo que os bancos estrangeiros tenham presença no país, abrindo as portas para as importações e dando mais força ao setor privado.

Ainda assim, Assad manteve um rígido controle de todas as formas de dissidência política.

Via The New York Times e The Wall Street Journal

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook