Atualizado em: 26 agosto 2013

Programa "Um Computador por Aluno" - Funcionou?

O Censo Escolar de 2012, apontou que ainda há 10.185 escolas, sendo 10.134 rurais, que não possuem energia elétrica.
Você Sabia?
Que o primeiro notebook foi o Toshiba 1100, lançado em 1985. Ele tinha um processador Intel 80C88 de 8 MHz, sistema operativo MS-DOS
computador na escola pública

O programa Um Computador por Aluno tem como objetivo a inclusão digital, distribuindo laptops para alunos e professores

O Ministério da Educação anunciou há seis anos atrás, o projeto Um Computador por Aluno (UCA), que criou muitas expectativas nos milhões de estudantes brasileiros da rede pública.

O projeto do governo do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, visava distribuir laptops em todas as escolas públicas do Brasil, mas a verdade é que na prática, o programa  Um Computador por Aluno (UCA), não funcionou.

publicidade:

Informações

Para começar, os primeiros 150 mil laptops que faziam parte da experiência piloto, só foram adquiridos em 2010, por R$ 82 milhões, três anos depois da formalização do projeto. Também em 2007, apenas cinco escolas haviam participado de experimentos pré-piloto do projeto. Houve colégios que só começaram a utilizar os laptops há dois anos, pois os laptops ficaram um ano nas caixas esperando a conclusão dos cursos dos  professores, que ainda não estavam habilitados.

Diversos estados e municípios vem desde então,usando pregões feitos pelo próprio governo federal para adquirir outros 387.979 laptops. Alguns laptops foram adquiridos  por meio de licitações federais, outros 141.202 computadores interativos. Mas a questão é que em seis anos, a quantidade de computadores adquiridas, atende  apenas a 2% dos 32.742.255 alunos que frequentavam o ensino fundamental e médio da rede pública em 2012.

A primeira dificuldade para ofertar os laptops para todas as escolas da rede pública esbarra na infraestrutura, pois até nas 300 escolas participantes do projeto piloto, foram relatados problemas de rede de energia elétrica, falta de internet e até local inadequado para guardar os laptops.

E esta é a realidade de muitas escolas, pois segundo  o Censo Escolar 2012, ainda há 10.185 escolas, sendo 10.134 rurais, que não possuem  energia elétrica.

De acordo com  o Ministério da Educação, gestor do projeto-piloto e coordenador do programa institucionalizado pela Lei nº 12.249, de 14 de junho de 2010, a experiência inicial do UCA mostra a inviabilidade de gestão e execução de um projeto desse tamanho pelo governo federal.

Enquanto isso o MEC financia cursos de formação para os  professores da rede pública que participam do UCA. Mas o MEC decidiu em 2010, que as políticas de utilização de computadores em sala de aula deveriam ser definidas pelas próprias redes estaduais e municipais. Cabendo ao governo federal, a tarefa de dar suporte financeiro e não gerenciar as atividades nas escolas.

Então, o governo federal passou o projeto inicial UCA  para o Programa Um Computador por Aluno (Prouca). Sendo que a lei que criou o  Programa Um Computador por Aluno (Prouca)  tornou o preço dos laptops para a rede pública de ensino mais acessíveis, o que vem fazendo com que alguns estados e municípios tenham começado a investir na aquisição dos laptops para as escolas.

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook