Atualizado em: 15 julho 2011

Plano Collor II | Prescrição, Prazo, Cálculo

Terminou dia 31 de janeiro deste ano o prazo para pedir correção da poupança. Quem queria pedir correção, precisavam provar que tinham caderneta de poupança ativa entre janeiro e fevereiro de 1991.
O banco em que a pessoa tinha conta tem que fornecer a cópia dos extratos ou a microfilmagem desses documentos. O banco deve fornecer as cópias dos extratos mesmo que a conta esteja encerrada. Caso o banco tenha sido adquirido por outra instituição, a sucessora fica responsável por fornecer os documentos. Esse serviço pode ser cobrado e o valor deve ser informado com antecedência ao poupador.
Para quem não lembra, foi no início de 1991 que houve uma perda de rendimentos por causa do Plano Collor II e agora o processo judicial vai buscar a correção de 21,87% no saldo que existia na conta.
Danielle Cavalcanti, Juíza Federal, deu uma entrevista para pe390graus da Globo, no qual disse: “Essas indenizações variam muito. O valor delas pode ir de R$ 15, R$ 20 até R$ 20 mil, R$ 30 mil. Mas, a minha experiência, nesses anos de julgamento de planos econômicos, especialmente na poupança, é de que os valores não são tão altos. As pessoas vêm com a expectativa de receber uma bolada, digamos assim, e na prática, quando vamos efetivar a sentença e calcular o quanto teria sido devido, isso se reduz a R$ 1 mil, R$ 500. Então não há como se criar uma expectativa de altos valores, mas podemos dizer que os valores, em média, dos planos passados, não foram tão altos para a maioria das pessoas que entraram com ações”.

publicidade:

Você também vai gostar disso:

Conte-nos o que achou da matéria usando o facebook